5 investimentos em renda variável para você conhecer

0
188
investimentos em renda variável

Os investimentos são divididos em dois grandes grupos. De um lado, a segurança da renda fixa. Do outro, o risco da renda variável. Aqui no Yubb, sempre falamos sobre investimentos em renda fixa como CDBs, LCIs, Tesouro Direto, entre outros. Hoje é o dia de te mostrar o outro lado da moeda!

A renda variável é uma classe de investimentos mais arriscada, mas que, normalmente, traz uma rentabilidade maior. Ela é indicada para investidores moderados e arrojados que aceitam correr alguns riscos (e até perder dinheiro!) para ganhar um valor bem maior no futuro. Se você não sabe qual é o seu perfil-investidor, veja este post e descubra!

Na teoria, a diferença entre renda fixa e variável está na remuneração. Em renda fixa, o rendimento é sempre fixo (o preço pode ser alterado, mas a renda não) já que a porcentagem de rentabilidade é definida logo no momento do investimento. Em renda variável, o rendimento se altera durante todo o período do investimento e não é possível saber qual será o valor final. Fizemos um vídeo incrível para você entender melhor essa diferença, então corre para assistir!

Isso significa que a instabilidade (em termos técnicos, volatilidade) é a responsável pela alta rentabilidade do investimento em renda variável. Como o rendimento está sempre mudando, você tem mais chances de ganhar mais. Mas, ao mesmo tempo, também corre o risco de perder dinheiro.

Diferente do que a maioria das pessoas pensa, investir em renda variável não é sinônimo de investir em ações da bolsa de valores. Existem diversos investimentos em renda variável que são rentáveis e uma ótima opção para investidores moderados e, principalmente, arrojados.

No post de hoje, separamos cinco investimentos em renda variável que você precisa conhecer! Dê uma olhada no infográfico e depois continue lendo o texto para saber mais sobre esses investimentos =)

investimentos em renda variável

1. Ações

As ações são as mais conhecidas entre os investimentos de renda variável. Ação é um título que pode ser negociado e que representa uma pequena parcela de uma sociedade de capital aberto (também chamada de sociedade anônima). Essa negociação é feita na famosa bolsa de valores ou no mercado de balcão.

Ao comprar uma ação de determinada empresa, você está comprando “uma parte” daquela empresa. O investidor passa a ser sócio e participa dos lucros dela, além de poder votar (caso a ação comprada permita o voto). Ou seja, se a empresa tiver bons resultados (lucro), o investidor recebe os dividendos e o dinheiro investido começa a se multiplicar pela própria valorização da empresa como um todo.

Mas é importante dizer que o contrário também pode acontecer! A empresa pode ter prejuízo e você acaba perdendo dinheiro. O mercado de ações pode te trazer altíssimas rentabilidades, mas também muitos prejuízos graças a sua volatilidade.

2. Câmbio

Ao investir em câmbio, você compra uma moeda estrangeira (Dólar, Libra Esterlina, Euro, Ien e etc) esperando a valorização dela no futuro. Por exemplo: você compra U$ 100,00 em um dia em que o dólar vale R$ 2,50. No futuro, o dólar sobe e passa a valer R$ 4,00. Ao vender esses U$ 100,00, você terá um valor em reais muito maior do que quando comprou. Ou seja, investiu e ganhou dinheiro!

Esse tipo de investimento é bem instável, já que depende da variação das moedas estrangeiras e esse é um mercado muito difícil de criar previsões e expectativas. Portanto, tome cuidado na hora de comprar e vender moedas! 😉

3. Robôs de investimento

Os robôs de investimento estão na moda entre os investidores! Eles são empresas de tecnologia (fintechs) que fazem o serviço de uma gestora. De acordo com o seu perfil e os seus objetivos, eles encontram os melhores investimentos para o seu bolso. Como isso é feito de forma automatizada, são chamados de robôs.

A função do robô é criar uma carteira de investimentos que seja diversificada, com baixo custo e manutenção automática. Como ele usa a tecnologia, consegue encontrar boas oportunidades no mercado e busca sempre a maior rentabilidade para você.

Ele é considerado um investimento de renda variável porque pode colocar o seu dinheiro em diversos ativos. Em quais? Isso depende da política de funcionamento de cada robô. Para obter a máxima rentabilidade, o seu portfólio é dividido em diferentes produtos, sejam eles CDBs, Tesouro Direto, ações, entre outros. No Brasil, os principais robôs de investimento são as fintechs Magnetis, Monetus, Vérios e Warren. No Yubb, você encontra os quatro =) Quer saber qual é o melhor? Veja este vídeo e descubra!

4. Criptomoedas

Acho que você já ouviu falar em bitcoin, né? Bitcoin é um tipo de criptomoeda e, sim, também é um investimento em renda variável! Além dele, também existem outras moedas virtuais como Ethereum, Ripple, ZCash, NEO, Litecoin, entre outras.

De forma geral, as criptomoedas são moedas virtuais que são geradas por sistemas computacionais de forma descentralizada (sem uma autoridade central que controla a moeda como o Banco Central do Brasil) e criptografada (o que traz a segurança da emissão). O investimento em moedas virtuais acontece da mesma forma que as moedas físicas. Os investidores compram bitcoins, por exemplo, com o objetivo de vendê-la por um preço maior do que a compra – ou seja, ficam esperando a valorização da moeda.

É um tipo de investimento muito recente e ainda com pouca legislação e regulamentação. Muitos investidores se sentem “tentados” pela rentabilidade das criptomoedas, mas vale a pena ficar atento para os riscos das moedas virtuais antes de colocar o seu dinheiro.

5. COE

De todos da lista, o COE é o produto mais recente e, provavelmente, o menos conhecido. COE é a sigla de Certificado de Operações Estruturadas. Resumidamente, esse tipo de investimento é um “envelope” (uma “casca”) dentro do qual são encontrados outros ativos.

Ao investir em um COE do banco X, você não está colocando dinheiro diretamente no papel do COE e sim nos produtos dentro daquele COE. Por exemplo, um COE pode ser composto por uma parte de renda fixa pós-fixada (um percentual da Selic) e a outra parte por renda variável (ações na bolsa de valores). Sua rentabilidade vem do misto desses dois produtos!

O COE é um investimento considerado híbrido, isto é, uma mistura de renda fixa com renda variável já que pode colocar o dinheiro do investidor em diversos produtos. Quer saber mais? Escrevemos um texto super completo para o blog da Vérios sobre COE. Clique aqui para ler.

 

Gostou de conhecer esses cinco investimentos em renda variável? Vai investir em algum deles? Deixe sua opinião aqui embaixo nos comentários =)