6 dicas para diversificar os seus investimentos

dicas para diversificar os investimentos

Polêmica! Bomba! De nada adianta procurar os melhores investimentos pelo Yubb se você for colocar todo o seu patrimônio na mesma aplicação. O que você precisa repetir para si mesmo é: diversificar os investimentos é essencial para ter um portfólio forte e, é claro, para ganhar mais dinheiro.

Diversificar os investimentos é uma ferramenta que te ajuda a ter mais tranquilidade tanto em segurança quanto em rentabilidade. É mais seguro já que você não está colocando todos os ovos na mesma cesta, ou seja, não corre o risco de perder todo o seu dinheiro de uma vez (lembra que todo investimento tem um risco, né?). E é mais rentável já que você pode pegar as melhores oportunidades do mercado e ganhar “um misto” de todos esses rendimentos.

Yubb separou seis dicas imperdíveis para você seguir e ter uma carteira diversificada e rentável. Dê uma olhada no infográfico que a gente preparou e continue lendo o texto =)

como diversificar os investimentos

1. Pesquise sobre o assunto

Nada é mais importante que conhecimento. Na hora de investir, a vantagem é sempre daqueles que entendem mais. Ninguém está dizendo que você precisa ser um expert para aplicar o dinheiro, mas é muito importante que você se interesse pelo assunto e busque informações que podem te ajudar.

A primeira dica é “pesquise sobre o assunto”. Em um primeiro momento, você não vai conseguir saber tudo sobre todos os tipos de investimento, mas é legal começar com o básico e, aos poucos, conseguir experiência e ir conhecendo novas modalidades de aplicação. Mesmo se você já é um investidor experiente, é interessante estar sempre ligado nas novidades.

Quando o assunto é diversificação de portfólio, entender bastante sobre investimentos e conhecer diferentes tipos de aplicação pode ser um diferencial muito grande. Dessa forma, o seu balanço será mais exato e terá mais chance de ganhar mais dinheiro.

2. Use o seu perfil-investidor para fazer o balanço

Para diversificar os investimentos, é necessário saber o seu perfil-investidor. A partir dessa informação, você consegue definir qual será o balanço dos seus investimentos. Isso significa que você consegue definir quanto dinheiro (%) vai para cada tipo de investimento.

Na regra geral, os investidores são divididos entre conservadores, moderados ou agressivos. Os conservadores são aqueles que prezam mais pela segurança e menos pela rentabilidade. Os agressivos são aqueles que têm o objetivo de sempre ganhar mais e não se importa de correr riscos. Os moderados são aqueles que estão no meio termo. Para saber quem é você, leia este texto =)

Quando você souber isso, consegue fazer o balanço do seu patrimônio. Ou seja, consegue dividir porcentagens do seu dinheiro para cada tipo de investimento. Se for conservador, a maior parte (%) vai para renda fixa, mas também é importante colocar uma parte menor em fundos de investimento e renda variável.

Isso é diversificação! Selecionar diferentes tipos de investimento e colocar partes do seu dinheiro em cada um deles. Exemplo: um investidor conservador quer investir R$ 10.000,00 e decide que, dessa quantia, 75% vai para renda fixa, 20% vai para fundos e 5% vai para renda variável. Tendo o seu perfil bem determinado, é mais fácil escolher os ativos.

3. Escolha diferentes opções dentro de cada grupo

Agora que você já sabe o seu perfil-investidor e definiu para quais classes vão o seu dinheiro, chegou a hora de diversificar DENTRO de cada classe. Resumindo: diversificação não é apenas separar os investimentos entre renda fixa, renda variável ou fundos. Diversificar é escolher diferentes produtos dentro dos grandes grupos.

Ficou confuso? Vamos pensar na prática! Se você é um investidor conservador e decidiu colocar 75% de seu patrimônio em renda fixa, não é interessante colocar todo o valor em um único produto (um CDB, por exemplo).

Em renda fixa, existem os títulos públicos do Tesouro Direto e os títulos privados como CDBs, RDBs, LCs, entre outros. Você pode pegar esses 75% e desmembrar uma parte em Tesouro Direto, outra parte em um RDB e uma menor parte em um CRI, por exemplo. A dica aqui é simples: procure diferentes produtos dentro de cada grupo para ter uma carteira completa!

4. Invista em produtos menos conhecidos

Essa dica não é uma regra e sim um conselho de amigo 😉 Para diversificar os investimentos, uma ótima opção é investir em produtos que são menos conhecidos no mercado.  Ao buscar ativos diferentes dos tradicionais, você pode encontrar rentabilidades mais altas.

Em renda fixa, por exemplo, os investimentos mais comuns são Tesouro Direto e CDBs, mas títulos como RDBs e LCs podem trazer mais rentabilidade com a mesma segurança. Ao falar sobre renda variável, a maioria dos investidores pensa no mercado de ações, mas existem outras opções como os robôs.

Por isso, vale a pena seguir a dica #1 e pesquisar sobre o assunto. Dessa forma, você vai encontrar investimentos que nunca tinha ouvido falar e que podem ser a peça chave na diversificação do seu portfólio.

5. Escolha prazos alternados

Qual é o seu objetivo financeiro? Você tem objetivos de curto, médio ou longo prazo? Na vida financeira, é essencial que você tenha objetivos para esses três períodos. Para conseguir concretizá-los, é necessário ter uma carteira de investimentos organizada e diversificada.

A nossa dica #5 de diversificação é que você precisa escolher diferentes prazos na hora de investir. Além de selecionar diferentes produtos (CDB, LCI, ações e etc), uma boa opção é escolher ativos com diversos prazos de vencimento. É claro que isso é mais comum em renda fixa, mas a ideia geral aqui é que você organize sua carteira para alcançar os seus objetivos de diferentes prazos.

Um exemplo prático: você pode colocar 40% do seu dinheiro em um CDB com liquidez diária, 25% em um RDB com vencimento dali a dois anos, 20% em um título do Tesouro Direto com vencimento dali a oito anos e 15% em renda variável. Com isso, o seu portfólio estará diversificado com prazos alternados fazendo com que você chegue mais perto de concluir seus objetivos 😉

6. Aplique em diferentes instituições

Até aqui, estamos te dando dicas sobre os grupos de investimento (renda fixa, renda variável ou fundos de investimento) e sobre os produtos (CDBs, Tesouro Direto, criptomoedas, ações, fundos DI e etc). Mas e se a gente te disser que diversificar os investimentos vai além disso?

Uma dica muito interessante é “comprar” investimentos de diferentes instituições financeiras. Se você já investe há algum tempo, provavelmente já tem contas abertas em alguns bancos e corretoras. Isso acontece porque é praticamente impossível encontrar os melhores investimentos em um mesmo lugar.

Vale lembrar que abrir uma conta de investimentos é um processo gratuito e online, ou seja, sem dor de cabeça alguma! Ao ter várias contas abertas, você consegue encontrar o melhor investimento em cada uma delas, diversificar o seu portfólio e ganhar mais dinheiro. Nada de “ficar preso” só no banco/corretora que você já tem conta e busque oportunidades em outras instituições!

 

Gostou das dicas para diversificar os investimentos? Você já fazia isso em sua carteira? Deixe um comentário aqui embaixo para a gente saber =)

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.