6 fatores para levar em conta na hora de escolher um investimento

0
33

Ok, você já sabe que deixar o dinheiro na poupança é furada, que investir é muito importante e até já aprendeu termos importantes no mundo financeiro. Agora é hora de escolher um investimento e começar a ganhar mais!

Mas é aí que mora o perigo. Muita gente não sabe quais fatores precisa analisar quando vai escolher um investimento. São inúmeras opções no mercado e, por mais que você tenha bem definido quais são seus objetivos financeiros, não é fácil tomar essa decisão.

Aliás, no começo não é nada fácil! Depois de investir algumas vezes, você vai pegar experiência e, com o tempo, será natural fazer essa análise e escolher aquele que tem mais a ver com o seu perfil e com o seu objetivo.

Para facilitar a sua vida, a gente separou seis tópicos que pre-ci-sam ser levados em conta na hora de escolher o seu investimento. Quer saber quais são? Veja o infográfico e continue lendo o post =)

Como escolher um investimento

Vamos ver os detalhes desses tópicos?

1. Valor mínimo

Para começar, você precisa definir quanto dinheiro você vai investir. A partir disso, a primeira coisa que precisa fazer é procurar investimentos que estejam dentro do seu orçamento.

Por exemplo: você separou R$ 1.000,00 para investir. Pensando em te ajudar, o seu amigo disse que tem um CDB super rentável do banco X. Você vê que a rentabilidade é ótima e decide criar conta para aplicar o seu dinheiro. De repente, descobre que você só pode investir nesse CDB a partir de R$ 5.000,00 e isso não é uma opção para o seu bolso.

Existem investimentos com valores mínimos a partir de R$ 1,00 e até R$ 1 milhão! Por isso, vá direto naqueles que cabem no seu bolso para não se decepcionar depois.

E, como você já sabe, nisso o Yubb te ajuda. Basta colocar quanto você quer investir e por quanto temos que a gente te mostra as melhores opções do mercado.

2. Tipo do investimento

E aí, você vai investir em renda fixa ou variável? Ou está pensando em fundos? Quer conhecer os robôs? O mercado está repleto de opções e você precisa escolher em qual tipo de investimento vai colocar o seu dinheiro.

Se você estiver começando agora, talvez a melhor opção seja começar por renda fixa. Exemplos: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, RDB, LC e muitos outros. Renda fixa é um pouco mais conservadora e pode ter um rendimento ótimo.

Nesse caso, você precisa decidir se vai aplicar o dinheiro em investimentos prefixados ou pós-fixados. Lembra o que é isso, né? A gente explicou direitinho aqui. Se você quiser uma taxa de rentabilidade sem tantas surpresas, aposte nos prefixados. Se quiser acompanhar algum indexador (CDI, SELIC, IPCA…), vá nos pós-fixados.

Se você já tem um pouco de experiência (ou quiser arriscar), pode ir para a renda variável. Exemplos: robôs, bitcoin, crowdfunding, ações na bolsa de valores e etc.

Ou seja, não adianta ir atirando para todos os lados. Escolha o tipo de investimento que tem mais relação com o seu perfil para que você alcance os seus objetivos financeiros mais rapidamente. Assim fica muuuuito mais fácil escolher um investimento.

3. Liquidez

Um fator muito importante para decidir onde investir é a liquidez. Cada pessoa tem o seu planejamento financeiro e sabe a grana que está disponível. Muitas vezes, a pessoa quer investir, mas tem medo de precisar daquela quantia em algum momento.

Por isso, vale analisar a liquidez. Se ela for diária, significa que você pode retirar a qualquer momento. Se for no vencimento, o dinheiro ficará “preso” até o dia do resgate. Qual funciona melhor para você?

Um exemplo prático que demonstra essa importância: Você quer investir R$ 6.000,00 para fazer uma viagem dali a um ano. Encontrou um investimento incrível, mas o prazo de vencimento é dali a cinco anos e a liquidez é só no vencimento. Pronto, esse investimento não é para você!

A liquidez e o prazo de vencimento são características muito importantes para se levar em conta na hora de escolher um investimento. Quando você vai precisar desse dinheiro de volta? Se tiver uma emergência, você tem uma reserva guardada? O que cabe no seu bolso? Faça essas perguntas e você estará um passo mais perto de investir.

4. Tributação

Você sabia que a maioria dos investimentos também tem o imposto de renda cobrado? Sim, isso é super comum e você não precisa se assustar. Aliás, muita gente acha que compra boa é compra sem imposto, né?

Mas não é bem assim! Vale a pena lembrar que a isenção do imposto de renda não garante que aquele investimento seja o melhor para o seu bolso e para a sua vida. Além de analisar todos os itens que citamos acima, também é necessário ver se não é melhor pagar um pouquinho de imposto para ter uma rentabilidade beeem mais alta.

LCI e LCA, que são os não-tributados mais conhecidos, por exemplo, nem sempre são as melhores opções. A tributação (ou não) pelo imposto de renda é uma característica muito forte dos investimentos que, com certeza, deve ser levada em conta na hora de escolher.

5. Risco

Vou te contar um segredo: TODO investimento tem um risco. Não importa se ele for mega conservador, sempre existe um risco (por menor que ele seja).

Então você precisa escolher qual risco você está disposto a pagar. A gente falou sobre isso um pouco ali em cima, mas o risco vai muito além de escolher renda fixa ou renda variável.

Por exemplos, alguns investimentos são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) e isso faz com que a sua aplicação (de até R$ 250.000,00) esteja segura caso o banco quebre.

Muita gente só investe em ativos garantidos pelo FGC para ter uma segurança maior. Outros, analisam o Índice de Basiléia da instituição financeira – quanto maior for o índice, mais “seguro”  é investir naquele banco ou corretora.

Cada pessoa tem um perfil e um objetivo. Às vezes, vale a pena arriscar um pouco mais para ter um rendimento maior em um curto período de tempo. Em outros casos, é melhor jogar com mais tranquilidade para não ter dor de cabeça… É um ponto muito importante para pensar na hora de escolher.

6. Rentabilidade

É isso mesmo que você está vendo: rentabilidade é o ÚLTIMO fator dessa lista. A gente deixou justamente para o fim para você entender que o rendimento não é tão importante quanto parece.

A maioria dos investidores iniciantes vai atrás da melhor rentabilidade e ponto final. Mas esse comportamento é muito errado! Antes de avaliar a rentabilidade, que tal levar em conta todos os pontos que a gente citou aqui neste post?

É claro que cada caso é um caso. Se a sua ÚNICA prioridade é ganhar mais dinheiro, talvez escolher um investimento com mais rendimento seja a melhor opção, mas isso é muito difícil acontecer. Na maioria dos casos, é necessário analisar todos os fatores.

Depois que estiver tudo decidido, aí sim vale ver qual é o investimento que mais rende. Não vale “ficar cego” com aquele monte de taxa e esquecer dos outros fatores.

Como a gente sempre diz, escolher um investimento é algo muito pessoal e que demanda dedicação. Se você analisar esses seis fatores, tomar essa decisão vai ser moleza! =)

 

Agora você já sabe o que pensar na hora de escolher um investimento! Se tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe aqui embaixo nos comentários.