6 investimentos em renda fixa para você conhecer

0
287
Investimentos em renda fixa - Capa para posts

“CDB, RDB, LC… Que raios é esse monte de letra?” A gente tem certeza que você já teve esse pensamento quando ouviu um economista falar na televisão ou até mesmo o seu gerente do banco sobre os investimentos em renda fixa. Muita gente pensa que o essencial é que o investimento seja bom e fim. Pra que conhecer todos eles, certo?

Errado! É sempre bacana saber onde você está investindo o seu dinheiro e entender um pouco mais sobre finanças. As aplicações podem ser divididas entre renda fixa e variável e, dentro de renda fixa, está esse monte de letrinhas que a gente falou aí em cima.

Os investimentos em renda fixa podem ser divididos entre públicos e privados. Vale saber que os públicos são os títulos do Tesouro Direto, mas isso é tópico para outro post. Hoje a gente vai falar sobre os privados – que são aquelas letrinhas que vivem aparecendo no Yubb e você talvez não saiba o que é — agora vai descobrir de uma vez por todas!

Para conhecê-las, que tal observar o infográfico abaixo? E, claro, continuar lendo o nosso post =)

Investimentos em renda fixa

Quando você empresta dinheiro para o banco em troca de uma rentabilidade, isso é um investimento. Dessa forma, quem está com o seu dinheiro é a instituição financeira — nesse caso, a instituição financeira é o banco. Dependendo de onde você investir, o seu dinheiro vai para determinado “lugar”. Ou seja, o seu dinheiro pode ser destinado a diferentes setores dependendo do investimento realizado por você.

O banco não pode sair fazendo o que quiser com o dinheiro dos outros, né? Então, além de muitas outras características que vamos explicar abaixo, uma das diferenças entre os investimentos de renda fixa privada está no destino para o qual vai o seu investimento. Está confuso? Conheça os seis principais investimentos em renda fixa!

1. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é o investimento mais popular da renda fixa privada. Isso porque seu valor de aplicação mínima é mais baixo. Lembra que a gente costuma falar que é possível investir a partir de R$ 1,00? É em CDB, acredita?

Ele é emitido por bancos e é muito comum porque é a melhor forma para o banco captar recursos. Diferente dos outros investimentos que a gente vai ver, no CDB o banco possui uma grande flexibilidade para destinar os recursos captados por meio desse investimento

Além disso, ele é muito seguro, já que é garantido pelo FGC. Se não sabe ou não se lembra o que é FGC, clique aqui.

A liquidez pode ser diária (você tira o dinheiro quando quiser) ou no vencimento (só pode tirar no dia do resgate) – depende de qual você escolher. O CDB também pode ser pré ou pós-fixado e é sempre tributado pelo imposto de renda.

Entendeu porque ele é o queridinho entre os investimentos de renda fixa? A única coisa “ruim” é a tributação pelo imposto de renda. Mesmo assim, nem sempre a tributação é um problema, já que muitos CDBs possuem uma rentabilidade alta que compensa o fato de ser tributado por imposto de renda. Para conhecer mais sobre o CDB, veja este post.

Legal, né? Mas os outros cinco investimentos em renda fixa também têm benefícios bem bacanas.

2. LCI

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um investimento que exige um valor mínimo de aplicação um pouco mais alto. Ela não é tão comum porque, ao investir em uma LCI, o seu dinheiro vai diretamente para o setor imobiliário, não podendo ser destinado a outras áreas.

Dessa forma, para um banco captar recursos de investidores por meio da LCI, o banco precisa necessariamente emprestar para alguém que tenha um projeto na área imobiliária. Se o mercado imobiliário estiver pujante, os bancos poderão emitir LCIs para captar recursos. Se o mercado imobiliário estiver estagnado ou em crise (um pouco do que vimos em 2016 e 2017), então poucas pessoas buscarão empréstimos e os bancos vão emitir menos LCIs. Faz sentido?

Uma vantagem é que esse investimento é isento de imposto de renda, mas o tempo mínimo de resgate é 90 dias, ou seja, nada de liquidez diária! As LCIs também são garantidas pelo FGC e podem ser pré ou pós-fixadas.

Importante contar que a LCI é um investimento muito popular no Brasil também. Muitas pessoas gostam de fazer esse investimento por não haver imposto de renda. Entretanto, a rentabilidade também é menor, uma vez que não há o desconto do imposto de renda. Então, precisa observar a “taxa de equivalência”: ou seja, ao analisar uma LCI e um CDB, precisa ver a rentabilidade equivalente já que o CDB é tributado pelo imposto de renda e a LCI é isenta. Dica: a gente mostra essa informação para você em todos os investimentos de LCI no Yubb! =)

3. LCA

A Letra de Crédito do Agronegócio possui exatamente as mesmas características que a LCI. Mas, como o nome já diz, o dinheiro vai obrigatoriamente para o agronegócio e não para o setor imobiliário.

Dessa forma, quando você investe em uma LCA, você está financiando o setor do agronegócio no Brasil. E a lógica sobre o mercado imobiliário também se aplica ao mercado do agronegócio: se o agronegócio brasileiro estiver se expandindo e mais produtores estiverem buscando recursos para financiar suas operações, então os bancos emitirão LCAs. Agora, se o agronegócio estiver em crise e a produção brasileira não estiver se expandindo, quase ninguém irá buscar crédito com os bancos. Resultado: poucas LCAs no mercado.

De resto, as LCIs e LCAs são iguais e podem ser sempre procuradas em conjunto. Para o investidor, não há diferença prática entre LCI e LCA — embora você possa preferir financiar o agronegócio brasileiro ou o setor imobiliário.

E o que a gente falou aí em cima sobre a rentabilidade equivalente das LCIs com relação a CDBs também vale para as LCAs. Precisa ver essa equivalência para entender se a rentabilidade é realmente interessante.

4. LC

A Letra de Câmbio (LC) é um investimento que costuma confundir algumas pessoas. Em primeiro lugar, ela não tem nada a ver com “câmbio” no sentido de “moeda estrangeira”. Não se confunda com o nome! LC não tem absolutamente nada a ver com dólar, euro, ou qualquer outra moeda, ok?

A LC é um investimento mais comumente emitido por financeiras . Ela é tributada pelo imposto de renda, mas, por outro lado, é garantida pelo FGC. Ou seja, pode investir sem medo! O investimento mínimo é um pouco maior quando comparado com um CDB e pode ser pré ou pós-fixada.

As LCs costumam ter rentabilidades muito interessantes. Como são emitidas principalmente pelas financeiras (instituições menores do que os bancos), essas financeiras acabam oferecendo rentabilidades mais altas do que os bancos. E, como são garantidas pelo FGC, as LCs são muito buscadas pelas pessoas. Afinal, quem não quer rentabilidade alta com a garantia do FGC?!

5. RDB

Assim como a LC, o Recibo de Depósito Bancário (RDB) também costuma ser emitido mais por financeiras. Para investir em um RDB, o valor mínimo de aplicação normalmente é maior: a partir de R$ 10.000,00 (difícil encontrar um RDB com valor de investimento menor, embora seja possível).

O RDB é conhecido como “o CDB das financeiras”. É muito parecido com o CDB em quase todos os aspectos. Um ponto importante de diferença dos RDBs é que a liquidez do RDB é sempre no vencimento. Ou seja: você não consegue tirar seu dinheiro antes da data de resgate.

Também vale dizer que eles são sempre tributados pelo imposto de renda, podem ser pré ou pós-fixados e são bem seguros já que possuem a garantia do FGC.

Esse tipo de investimento é conhecido por ter uma boa rentabilidade, então vale ficar de olho! Para encontrar os RDBs disponíveis pelo Yubb no dia de hoje, é só clicar neste link.

6. LF

Entre todos os investimentos em renda fixa que a gente te apresentou, a Letra Financeira (LF) é a menos conhecida. É emitida por bancos, mas possui um investimento mínimo de R$ 150.000,00! Muito dinheiro, né? Além disso, tem prazo mínimo de investimento de 2 anos. Por isso é a menos comum hehe. Quem aí tem R$ 150.000,00 pra deixar investidos por 2 anos?

Além disso, ela é um pouco mais arriscada por não ser garantida pelo FGC. No entanto, sua rentabilidade pode ser alta, principalmente pelo fato de que o prazo de vencimento costuma ser mais longo.

A LF pode ser prefixada ou pós-fixada, e sempre é tributada pelo imposto de renda. Como tem a questão de ter o prazo mínimo de 2 anos, a LF não possui liquidez diária.

 

Agora que você já conhece esses seis tipos de investimentos em renda fixa, chegou a hora de começar a investir, né? Corre para o Yubb que a gente te apresenta as melhores formas de investimento.

 

Gostou de conhecer esses investimentos em renda fixa? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui embaixo um comentário =)