COE é um bom investimento?

COE é um bom investimento?

Você já ouviu falar em COE? É um tipo de investimento muito novo no mercado e que desperta a curiosidade dos investidores. Por ser um produto complexo, algumas pessoas têm medo de se aventurarem e colocar seu dinheiro em um COE. Será que é um bom investimento? Descubra com a gente!

Para quem já morou no exterior e investiu dinheiro, muito provavelmente já ouviu falar nas Notas Estruturadas, um título comum nos Estados Unidos e na Europa. Para o Brasil, ele veio com o nome de Certificado de Operações Estruturadas, ou seja, COE. Resumidamente, operação estruturada significa um “envelope” que agrupa outros ativos.

Esse investimento foi criado pela ex-Cetip (atual B3) com o apoio de alguns bancos. A regulamentação saiu em 2014, mas os bancos só começaram as emissões em 2015. É um produto bem novo no mercado e que ainda não foi muito divulgado para os investidores. Nós, aqui no Yubb, achamos que esse investimento ainda vai ser muito difundido pelos bancos e vale a pena você conhecer!

COE é um bom investimento?

O que é?

Certificado de Operações Estruturadas é um produto híbrido – é uma mistura de renda fixa e de renda variável. Como eu disse ali em cima, ele é um “envelope” que contém outros ativos em seu interior. Ao comprar o COE, você não está colocando o dinheiro diretamente nesse produto e sim em todos os ativos que estão dentro da “casca” do COE.

Alguns exemplos para ficar mais simples:

  • O COE A é composto por uma parte de renda fixa (um Tesouro Direto indexado à SELIC) que vai render X% da SELIC e por outra parte de renda variável (ações da empresa A na bolsa de valores) que vai render Y%.
  • O COE B é composto por uma parte de renda fixa (um CDB prefixado) que vai render W% ao ano e uma parte de renda variável (S&P 500, que é o índice da bolsa de valores dos EUA) que vai render Z%.

Na hora de calcular a rentabilidade, você precisa fazer algumas contas para ver quanto o COE vai render no total.

Como funciona na prática?

Para investir em um COE, é muito simples. Como ele é emitido por bancos, você pode encontrá-lo diretamente nos bancos ou por meio das corretoras e distribuidoras. Basta abrir a conta na corretora ou no banco, transferir o seu dinheiro e investir no COE que deseja. Dá para encontrar COEs com a partir de R$ 1.500,00.

Na prática, você precisa escolher qual é o COE que mais combina com você. Antes de aplicar o seu dinheiro, confira o Documento de Informações Essenciais (DIE) do COE. É um documento que contém todas as características daquele investimento e que vai te mostrar se ele é adequado para você ou não.

Ele não é um investimento criado “do nada” – é destinado para um perfil investidor. No DIE, uma informação muito importante é o suitability e isso significa a “adequação” do COE. Por isso, é muito importante ler esse documento para saber se aquele investimento é adequado para você.

Como ele é uma “casca”, você precisa saber onde o seu dinheiro será investido. Quais são os ativos do COE? Qual é a parte de renda fixa e de renda variável? O suitability se encaixa no meu perfil de risco investidor? Encontre todas essas respostas, escolha o COE que mais te interessa e invista pelos bancos ou corretoras.

Algumas características

Os COEs só podem ser emitidos por bancos, mas ainda não é um produto muito comum, então não são todos os bancos que os oferecem. Em relação aos custos, a maioria das corretoras e bancos não cobra nenhum tipo de taxa para investimentos em COE. Algumas até podem cobrar taxa de administração/corretagem e taxa de performance, mas não é a maioria.

Importante você saber que esse tipo de investimento NÃO é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Isso significa que você não tem nenhuma garantia de que o seu dinheiro será devolvido caso aconteça algum problema com a instituição. Mas, ao aplicar o seu dinheiro em um COE, o investimento fica registrado em seu nome na Cetip (que hoje se chama B3), o que traz um pouco mais de segurança.

Na maioria dos COEs, a liquidez é no vencimento. Ou seja, o seu dinheiro fica “preso” e só é possível resgatá-lo ao final do prazo determinado.

Outro fator importante é o número de “alavancagem” ou “barreira de baixa”. No DIE, você encontra um valor que é o máximo de rentabilidade que você pode receber. Mesmo se o ativo render mais, você só vai chegar até aquele valor. É por isso que muitos investidores preferem fazer a sua própria carteira do que “diversificar” investindo em COEs!

Eles podem ser divididos em dois grandes grupos:

  • COE de capital garantido: você nunca perde o valor inicial. Investiu R$ 5.000,00? Esses R$ 5.000,00 sempre serão seus! Mesmo se não ganhar R$ 1,00 a mais, o valor inicial estará intocável e não há chance de perdê-lo.
  • COE de capital de risco: você pode perder o valor inicial, mas não mais que isso. Investiu R$ 5.000,00? Você pode perder tudo e ficar com nada, mas não corre o risco de ficar com o valor negativo.

Você já deve ter percebido que, nas duas opções, há uma proteção do seu dinheiro. Diferente de alguns investimentos super arriscados, no COE você nunca vai sair no negativo. Isso pode ser uma vantagem muito grande para você, investidor!

Para quem é indicado?

No geral, o COE é indicado para os investidores que já têm uma quantia guardada em uma reserva de emergência e que buscam um pouco mais de risco para ganhar uma rentabilidade maior. Mas não dá para definir isso com exatidão já que vai depender da suitability de cada COE.

Ele pode ser uma ótima opção para quem:

  • Quer deixar o investimento inicial protegido e tem medo de ficar no negativo.
  • É um investidor que busca mais agressividade, mas ainda não se sente à vontade para aplicar em renda variável.
  • Gostaria de aplicar em ativos internacionais, mas com a comodidade de fazer todas as transações por um banco brasileiro.

Acho que deu para entender, né? Ele é indicado para todos os investidores que buscam mais retorno, mas é muito importante analisar caso a caso.

Vale a pena investir em COE?

É muito difícil definir se vale a pena investir ou não em algum produto. Assim como tudo no mundo dos investimentos, é necessário saber qual é o seu perfil investidor e o seu objetivo financeiro para saber se aquele investimento é adequado para o seu bolso.

Como o COE é um produto mais complexo, é necessário ler algumas coisas sobre o assunto, analisar as taxas cobradas pelas instituições, fazer as contas de qual seria a possível rentabilidade daquele investimento, ler o DIE completo, sanar todas as suas dúvidas para, depois, aplicar o dinheiro.

Se você já investe há algum tempo, já tem a sua reserva de emergência separada e está buscando um investimento diferente: VÁ EM FRENTE! O COE pode ser uma boa opção para ter em sua carteira!

 

 

Gostou de entender um pouco mais sobre COE? Pretende investir neste produto? Se algum tópico não ficou claro ou não foi citado, deixe aqui embaixo. Vou adorar ler seus comentários e respondê-los! =)

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.