Confira dicas para diversificar investimentos

0
38
dicas para diversificar investimentos

Toda pessoa que opta por investir dinheiro recebe como primeiro conselho não colocar todos os ovos dentro de uma só cesta. A questão que vem em seguida é: como fazer essa diversificação? É preciso pensar nos fatores que influenciam diretamente a rentabilidade das modalidades disponíveis. No post de hoje, vamos te apresentar dicas para diversificar investimentos.

Manter uma carteira diversificada é um mecanismo de segurança, uma vez que o risco do investimento não fica concentrado em uma só aplicação. Assim, caso determinado ativo tenha uma queda por conta do momento econômico, o investidor estará protegido por suas outras aplicações.

Principalmente em momentos de instabilidade econômica e crise política (como as que vivemos nos últimos anos) dividir as aplicações entre renda fixa e variável é uma forma de sofrer menos com as oscilações constantes do mercado financeiro. Mas, infelizmente, isso nem sempre vale para quem pretende investir uma quantia pequena.

dicas para diversificar investimentos

Quanto eu preciso para começar a diversificar?

Por mais que diversificar os investimentos seja uma forma de blindar a sua rentabilidade, dependendo da quantia investida essa prática pode fazer você não ter um resultado bom o suficiente para manter o valor aplicado ou até mesmo perder dinheiro.

Isso acontece porque com uma quantia de até R$ 10 mil dividida entre várias modalidades, os rendimentos diminuem. E também é preciso arcar com as taxas de administração de cada modalidade.

Além disso, torna-se mais arriscado apostar valores mais baixos no mercado de renda variável, principalmente se esta for a única quantia que você tem disponível para aplicação.

Para casos de formação de fundo de emergência, ou seja, situações em que seja vantajoso ter alta liquidez (liquidez diária), o mais indicado é permanecer em um investimento mais conservador como  um título do Tesouro Direto, por exemplo.

A partir do momento em que a quantia investida começa a render e aumentar, torna-se possível avaliar a diversificação da carteira. Avalie sempre os custos na hora de fazer essa transição, visando preservar a sua rentabilidade. Outro ponto a ser considerado são os prazos que você tem disponível para fazer o dinheiro render.

Como escolher os melhores investimentos?

No momento de diversificar os investimentos, é preciso escolher quais são as melhores opções. Para isso, o primeiro passo é definir o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). De nada adiantará decidir aplicar no mercado de ações, por exemplo, caso não tenha sangue frio para aguentar a variação constante do mercado.

Depois, defina quanto tempo você tem disponível para obter o retorno desejado e escolha entre curto, médio e longo prazo. Isso fará total diferença, uma vez que, a depender do investimento, retirar o dinheiro antes do tempo acarreta em Imposto de Renda maior e taxas mais caras.

Outra dica é ficar sempre de olho em como o seu investimento se comportará frente às variações do mercado e calcular a sua rentabilidade. Pesquise bastante e acompanhe diariamente as notícias econômicas. Muitos investidores caem em erros primários – como seguir o investimento da moda, não conhecer o gestor do seu fundo ou diversificar da maneira errada – e acabam sem ter o retorno esperado.

 

Gostou das dicas para diversificar investimentos? Se tiver qualquer dúvida ou comentário, deixe aqui embaixo!

 

Gabriella Bertoni

Gabriella, do Finanças Femininas, é jornalista formada pela Universidade Católica de Brasília, foi repórter da editoria de Cidades do Correio Braziliense e assessora de imprensa de órgãos governamentais. Brasiliense recém chegada à São Paulo, está aos poucos descobrindo a cidade e encarando os novos desafios.

 

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.