Dicionário de empresas de investimento

1
134
Vamos conhecer o nosso dicionário de empresas de investimento?

Banco, corretora, fundo de investimento, associação de poupança, cooperativa de crédito, banco de desenvolvimento, gestora, fundo de investimento… ufa! Quanta empresa de investimento diferente para conhecer na hora de fazer um investimento, né? A lista é longa e pode ser confusa em um primeiro momento. Afinal, existem várias e várias empresas e instituições de investimento diferentes com produtos e serviços de investimento para você aplicar o seu dinheiro.

Para você não ter mais essa insegurança, criamos um dicionário de empresas de investimento. Uma visão completa com as principais empresas que você precisa conhecer na hora de investir para não ter dúvida sobre para onde vai o seu dinheiro. Será que você está investimento em uma empresa grande ou pequena? Será que ela usa o seu dinheiro para alguma finalidade específica? Quais os tipos de investimento que ela tem?

Vamos descobrir juntos!

Dicionário de empresas de investimento para conhecer as diferentes empresas que atuam em investimentos: banco, corretora, gestora, fundo de investimento e muitas outras.

Muita coisa ou conseguiu entender bem? Vale a pena olharmos com mais profundidade para cada classificação do nosso dicionário de empresas de investimento. Agora é o momento de aprender as diferenças e especificidades de cada uma. Você vai ver como é mais fácil do que parece! =)

 

Banco

A mais conhecida de todas as instituições de investimento do mundo! O famoso “banco”. Ame ou odeie, os bancos estão nas nossas vidas há centenas de anos. E provavelmente vão continuar por aqui por mais bastante tempo. Mas, afinal, o que é um banco? De forma muito simples, é uma instituição que toma recursos de pessoas físicas e jurídicas (os investidores) e empresta esses recursos para outras pessoas físicas e jurídicas (os devedores).

Da perspectiva do investidor, você é quem empresta dinheiro para o banco ao investir. E, depois de um tempo (prazo do investimento), o banco devolve esse dinheiro para você com juros (seu rendimento).

Para entender, vale a pena pensar no banco como o “dono” de um investimento. Esse é um significado fácil de entender o termo “emissor”. “Emissor” = dono do investimento. Ou seja: ao investir, o seu dinheiro vai para o banco, que, por sua vez, irá emprestar para outras pessoas como falamos aí em cima.

Exemplos de investimentos emitidos por bancos: CDB, LCI, LCA, LF e DPGE.

Exemplos de bancos: Xi, são muitos em todo o Brasil! Para você não pensar que estamos “privilegiando” algum banco, vem ver aqui no Yubb alguns bancos que emitem CDB, LCI ou LCA.

 

Financeira

A financeira é uma empresa de investimento pouco conhecida, mas parecida com o banco. Ela também é “dona” de alguns investimentos (ou seja, emite investimentos). Mas, ao contrário do banco, a financeira não pode emprestar o dinheiro que você investir para qualquer finalidade. Via de regra, a financeira é uma empresa que empresta dinheiro para financiar aquisição de automóveis, caminhões, máquinas e outros bens duráveis.

Uma diferença importante entre bancos e financeiras se refere ao tamanho dessas empresas. Normalmente, os bancos são instituições maiores e com mais recursos do que as financeiras. Isso significa que o risco de um banco “quebrar” é menor do que o risco de uma financeira “quebrar”. Consequentemente, investir em uma financeira pode ser mais arriscado do que investir em um banco.

Mas presta atenção no “pode ser mais arriscado”: em alguns casos, um banco pode estar em uma situação pior do que uma financeira. Lembrando que alguns dos investimentos emitidos pelas financeiras são protegidos pelo FGC – Fundo Garantidor de Créditos. Para conhecer mais sobre o FGC, veja nossa página clicando neste link.

Exemplos de investimentos emitidos por financeiras: LC e RDB.

Exemplos de financeiras: Não são tão numerosas como os bancos. Para você ver todas as financeiras disponíveis no dia de hoje, veja em LC ou RDB.

 

Corretora ou distribuidora

Depois dos bancos, as corretoras são as empresas de investimento mais conhecidas do nosso dicionário de empresas de investimento. Em alguns casos, talvez disputem o primeiro lugar de “mais conhecida” ao lado dos bancos. Com vocês, as famosas corretoras!

Para entender facilmente o que uma corretora faz, você pode pensar nas corretoras de imóveis: o comprador de um imóvel usa uma corretora para facilitar a compra de uma casa ou apartamento de um proprietário. A corretora não é dona do imóvel; ela apenas facilita a compra e venda de imóveis. Trazendo para o nosso mundo dos investimentos, o comprador do imóvel é o investidor; o proprietário do imóvel é o emissor do investimento; e a corretora tem o mesmo papel de facilitar a realização do negócio (neste caso, realizar o investimento).

Essa é uma forma legal para entender que a corretora não é “dona” de nenhum investimento. Ela não emite nenhum investimento. Faz apenas a intermediação do dinheiro para ir do investidor para o emissor.

E qual a diferença entre uma corretora e uma distribuidora? Na prática, não há diferença nenhuma para o investidor. Em 2009, uma decisão do Banco Central e da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), equiparou as funções e competências de corretoras e distribuidoras. Então, você pode entender que as duas passaram a fazer as mesmas coisas desde 2009!

Exemplo de investimentos distribuídos por corretoras e distribuidoras: Muitos! Podem ser os investimentos de renda fixa privada (CDB, LCI, LCA, LC, LF, LH, DPGE, RDB, debêntures, entre outros), renda fixa pública (Tesouro Direto), fundos de investimento, ações e muitos outros!

Exemplos de corretoras e distribuidoras: atualmente (junho de 2017), exibimos as seguintes corretoras pelo Yubb (em ordem alfabética): Ativa Investimentos, Easynvest, Órama Investimentos, Rico Corretora, Socopa e XP Investimentos. Todos os meses, adicionamos novas corretoras!

Em alguns casos, um emissor (por exemplo, um banco) pode fazer a própria distribuição dos seus investimentos sem usar uma corretora ou distribuidora “terceirizada”. Por exemplo, é o caso do BTG Pactual Digital, Daycoval, Modal Mais e Sofisa Direto (em ordem alfabética).

 

Fundo de investimento

Este próximo item do nosso dicionário de empresas de investimento tem crescido bastante ultimamente, especialmente com a queda da SELIC e da inflação em que os investimentos de renda fixa podem ter sua rentabilidade reduzida. O mercado de fundos de investimento é um “mundo à parte” de renda fixa: existem milhares de fundos de investimento diferentes no Brasil em muitas classes distintas.

O que importa nesse momento no dicionário de empresas de investimento é explicar o que são os fundos. De forma simples, um fundo é um grupo de pessoas que “entregam” o seu dinheiro para um profissional fazer investimentos. É uma empresa separada (possui um número de CNPJ distinto por exemplo) que administra os recursos das pessoas. Ao investir em um fundo, o investidor passa a ser um “quotista” do fundo – passa a ter uma “quota”, uma “pequena parte” do fundo.

Geralmente, os fundos possuem algumas estratégias de investimento para otimizar os ganhos dos investidores. A lógica é a seguinte: ao invés de aplicar o seu dinheiro sozinho, você pode dar o dinheiro para um profissional fazer essa gestão. Adicionalmente, com uma quantidade maior de investimentos do que você teria sozinho, é possível diversificar os investimentos do fundo.

Um fundo de investimento necessariamente possui um administrador – responsável por representar o fundo e os interesses dos quotistas (investidores do fundo). Em alguns casos, o administrador pode também ser o gestor, aquele responsável por gerir o dinheiro dos investidores e aplicar em produtos e serviços para otimizar o ganho dos investidores. Em outros casos, o administrador e o gestor podem ser o mesmo.

 

Outras definições do dicionário de empresas de investimento

As empresas acima são as mais conhecidas e as principais. Como há muitas outras, vamos apresentar agora os outros itens do dicionário de empresas de investimento de forma mais resumida. Se você tiver dúvidas, pode deixar um comentário ao final do post (final da página).

  • Robô de investimento: uma nova modalidade de investimento que tem surgido no Brasil (já existe há mais tempo em outros países da Europa e nos Estados Unidos). Ao invés de um profissional fazer a gestão do seu dinheiro e escolher os investimentos, um “robô” (um programa de computador) faz essas análises e investimentos para você. A ideia aqui é que o “robô” pode ser mais inteligente do que um ser humano ao tomar as decisões de investimento, aumentando a rentabilidade para o investidor;

 

  • Banco de investimento: são instituições financeiras que fazem operações e financiamentos para pessoas jurídicas. Já ouviu falar de “fusão e aquisição”? É uma operação em que uma empresa “compra” outra empresa ou se “funde” para que, juntas, tenham uma atuação mais relevante, mais recursos, mais mercado, entre outros fatores. Alguns exemplos: fusão entre as companhias aéreas Lan e Tam, criando a Latam; fusão da Brahma com a Antárctica, criando a AmBev; aquisição do WhatsApp pelo Facebook. Todas essas operações costumam ser feitas por bancos de investimento. Em alguns casos, os bancos de investimento também podem ser gestores de fundos de investimento.

 

  • Caixas econômicas: podem ser entendidas como os bancos e as financeiras das explicações acima como “dono” de um investimento. Mas, no caso das caixas econômicas, obrigatoriamente precisam emprestar dinheiro para projetos sociais. Por exemplo, projetos na área de educação, saúde, transporte, inclusão social, entre outros. Atualmente, a única caixa econômica em operação é a Caixa Econômica Federal – CEF.

 

  • Banco de desenvolvimento: como o próprio nome diz, é um “banco”. O diferencial aqui é o foco desse banco. Ao invés de emprestar dinheiro para várias finalidades como os bancos tradicionais ou para projetos sociais como as caixas econômicas, os bancos de desenvolvimento financiam setores da economia relevantes com base em diretrizes dos governos federais e estaduais. Por exemplo: se o governo federal possuir uma estratégia de desenvolver o setor aeronáutico do Brasil, o banco de desenvolvimento emprestará recursos para empresas que atuam nesse setor. E qual o banco de desenvolvimento mais conhecido? O BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Federal, vinculado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão do governo federal.

 

  • Cooperativas de crédito: as cooperativas de crédito são empresas também “donas” de investimentos. No entanto, os recursos captados pelas cooperativas devem ser emprestados necessariamente para os seus cooperados. E quem são esses “cooperados”? Normalmente, as cooperativas são formadas por grupos de pessoas que possuem atividades profissionais semelhantes. Por exemplo, uma cooperativa de agricultores de uma cidade ou cooperativa de jornalistas de uma instituição.

 

  • Sociedade de crédito imobiliário – SCI: você se lembra das “financeiras” lá no começo do dicionário de empresas de investimento? Pois bem: a sociedade de crédito imobiliário (SCI) é parecida com uma financeira. O que diferencia é que no caso da SCI os recursos captados precisam ser destinados para o financiamento de empreendimentos imobiliários. Um investimento emitido pela SCI é a LH – Letra Hipotecária.

 

  • Associação de poupança e empréstimo: as associações de poupança e empréstimo são parecidas com as sociedades de crédito imobiliário (item anterior) no sentido de que ambas são destinadas ao financiamento de empreendimentos imobiliários. Entretanto, enquanto as sociedades de crédito imobiliário focam em financiamento de empreendimentos de forma geral, as associações de poupança e empréstimo buscam facilitar a compra da casa própria somente de seus associados. E essas associações podem emitir investimentos como LH, LF e LCA.

 

  • Asset: este é um termo muitas vezes usado de forma errada. Originalmente, “asset” se refere a “asset management”, ou seja, uma empresa que faz a gestão de ativos de investimento. É exatamente o caso da “gestora” de um fundo de investimento como falamos antes no dicionário de empresas de investimento. Entretanto, muitas pessoas usam o termo “asset” para se referir a uma empresa que faz a “gestão de patrimônio” de pessoas. Ou seja: não é uma gestora de um fundo de investimento, mas uma empresa que recebe o dinheiro de clientes para aplicar em outros fundos de investimento de terceiros, em títulos de renda fixa, em tesouro direto, entre outros investimentos.

 

  • Tesouro Nacional: como bônus do nosso dicionário de empresas de investimento, precisamos falar sobre o Tesouro Nacional, a instituição responsável por emitir os investimentos do Tesouro Direto. Por ser um assunto importante, temos uma página no Yubb só para explicar sobre o Tesouro Direto – clique aqui para conhecer.

 

O que achou do nosso dicionário de empresas de investimento? Faltou alguma empresa que você gostaria de saber mais? Deixa um comentário aqui embaixo!

 

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.