Dicionário de termos de investimento 2

0
99
Dicionário das organizações financeiras

“BC nega emissão de LCI pelo BNDES”, “CVM multa corretora”, “Febraban estuda ações para reduzir juros do cheque especial”, etc etc e etc. Esses são alguns exemplos de manchetes que aparecem todos os dias na mídia (jornais, revistas, TVs…). Mas será que você conhece essas organizações financeiras? Ou seja: além de conhecer a sopa de letrinhas dos investimentos em si (CDB, LCI, LCA, LC, RDB, entre outras), existe uma outra sopa de letrinhas também muito importante. Mas calma que, como tudo que sempre mencionamos por aqui, é mais fácil do que você imagina!

Na maioria dos casos, elas são siglas: CVM, ACREDI, ABBC, entre outras. Por mais que a sigla sempre venha acompanhada de seu significado, é muito fácil ficar “boiando” e não entender nada sobre a notícia.

Pensando em você, a gente criou a segunda edição do Dicionário de termos de investimento. Se você não viu o primeiro, clique aqui para conferir, ficou muito legal! Dessa vez, o foco são as diversas instituições e organizações financeiras que atuam no mercado de investimentos. São diversas companhias, associações e organizações. Para ser mais exato, a gente separou 10 que são muito importantes e que costumam gerar dúvidas.

Essas instituições existem para organizar, fiscalizar e unir todo o sistema financeiro brasileiro. De certa forma, uma grande função dessas organizações financeiras é proteger os pequenos investidores e garantir que estes investidores possam fazer investimentos de forma segura e transparente.  Cada uma, é claro, com a sua função. Agora, veja o infográfico abaixo e continue lendo o post – a gente vai te explicar quem são elas e o que elas fazem.

Dicionário organizações financeiras

CMN

Conselho Monetário Nacional (CMN) é o orgão superior e a instituição mais importante no sistema financeiro do Brasil. É ele o responsável por estabilizar a moeda (R$) e realizar medidas para fomentar o desenvolvimento econômico do país. Em resumo, o  CMN faz a orientação para todos os setores da economia.

BC

Assim como o CMN, o Banco Central (BC) é uma das organizações mais importantes para o mundo das finanças e investimentos no país. É ele quem controla a inflação no país por meio de uma série de instrumentos e regulações.  

A estabilidade financeira é um dos objetivos principais na atuação do Banco Central – ele está sempre de olho em toooodas as instituições financeiras do país (bancos, corretoras, financeiras) para que a economia mantenha-se estável e a inflação esteja dentro da meta estipulada pelo governo.

CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) está sob a responsabilidade do Ministério da Fazenda e tem a função de fiscalizar o mercado mobiliário (não é pra confundir com “imobiliário” não, hein!) – ou seja, fiscalizar os investimentos de renda fixa e variável como ações, fundos, títulos bancários privados entre outros.

A CVM é uma organização de extrema importância para padronizar o funcionamento de todos os investimentos no Brasil, trazendo mais segurança e transparência para você, investidor. Embora a CVM não fiscalize os investimentos de renda fixa, ela atua bastante em fundos de investimento e também junto às corretoras de valores.

ANBIMA

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) representa as instituições como bancos, gestoras, corretoras, distribuidoras e administradoras. A ideia é reunir essas empresas de forma que o mercado fique mais organizado, regulado e unido. Vale dizer que a ANBIMA é conhecida por representar e fiscalizar os fundos de investimento. Se você não sabe a diferença de um fundo para outros tipos de aplicação, clique aqui.

B3

Se você é investidor, essa é pra você! A B3 foi criada em março de 2017 pela fusão da  BM&FBOVESPA (a famosa bolsa de valores) com a CETIP (empresa prestadora de serviços financeiros no mercado de balcão organizado, principalmente em renda fixa). O nome completo é B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão.

Além de poder investir nas opções negociadas na B3 (produtos da bolsa de valores), a B3 registra os investimentos em renda fixa no seu nome (função que era da CETIP) e também realiza a custódia de alguns outros investimentos (Tesouro Direto, por exemplo).

ACREFI

Essa aqui a gente incluiu na lista porque foi citada no vídeo que fizemos sobre o PoupaBrasil. Como muita gente pode ter ficado sem entender, vale a pena explicar =)

A Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (ACREFI) tem o objetivo de congregar as empresas do setor – defendendo os seus interesses no mercado. Lembra das financeiras que a gente mostra aqui no Yubb? Aquelas que emitem RDBs? Elas são representadas pela ACREFI.

FEBRABAN

A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), como o nome já diz, é a entidade que representa o setor bancário do país. Sem fins lucrativos, seu objetivo é aperfeiçoar o sistema pensando em como melhorar os serviços dos bancos de forma que isso reduza o risco e também aprimore o acesso da população a produtos e serviços bancários. Sabe o banco da sua conta corrente? Provavelmente a FEBRABAN trabalha junto com ele 😉

CBLC

A Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) tem tudo a ver com a B3 que a gente explicou ali em cima. É uma empresa que que faz clearing e custódia do mercado de capitais da antiga Bovespa – em outras palavras, é a responsável por “guardar” as ações e alguns outros títulos privados. Isso significa que, se você investir em ações, a CBLC guarda o investimento em seu nome.

ABBC

A Associação Brasileira de Bancos (ABBC) tem mais de 80 associados entre bancos e financeiras. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento do Sistema Financeiro Brasileiro e oferecer serviços voltados para otimização de atividades e redução de custos operacionais. Além disso, também faz ações educacionais para capacitação de profissionais da área.

ANCORD

A Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (ANCORD) é uma entidade que representa o setor da intermediação no Brasil. Como o nome já diz, ela representa as instituições financeiras e também os agentes autônomos de investimento. O objetivo é fortalecer e unir o mercado.

 

É claro que, além dessas 10, existem muitas outras organizações e associações. A CIP é a Câmara Interbancária de Pagamentos de bancos, Cobranças e Compensação de Títulos. O SPB é o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). A ABECS é a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços e por aí vai. Neste post, a gente tentou trazer as organizações financeiras mais faladas e que costumam trazer mais dúvidas =)

 

Você já conhecia essas organizações financeiras? Sabia quais eram as funções? Deixe sua pergunta ou comentário aqui embaixo!