ETF: o primeiro passo para quem quer investir em ações

0
25

Investir em ações é algo para quem tolera um pouco mais de risco e busca um rendimento maior do que a renda fixa pode oferecer. No entanto, é comum ver crescer a curiosidade por essas aplicações nos momentos de valorização da bolsa, mesmo entre pessoas com investimentos mais conservadores. E se houver uma forma de diluir o risco de aplicar o seu dinheiro em ações? Essa é uma das funções do ETF.

A sigla ETF vem da expressão em inglês Exchange Traded Fund, que significa fundo negociado em bolsa. Sua função é replicar o comportamento de um determinado índice. Ou seja, ele é constituído exatamente pela mesma proporção de ativos que compõem esse índice.

Um exemplo: o ETF que replica o comportamento do Índice Bovespa, o BOVA11, é um fundo constituído pelas ações que o formam. Assim, quem investe em cotas de um ETF de Ibovespa terá rendimentos diretamente ligados à evolução do índice.

Quer saber mais sobre o assunto? Veja o infográfico em formato de passo a passo e continue lendo o texto.

ETF - como investir

Existem ETFs de diversos índices e por meio deles é possível investir tanto em ações de empresas brasileiras quanto estrangeiras. Alguns dos principais ETFs negociados no Brasil são:

ÍndiceComposiçãoETFTaxa de adm.
IbovespaAções mais negociadas e mais representativas da bolsa brasileiraBOVA110,54% ao ano
Índice BrasilCesta com as 100 ações mais negociadas da bolsaBRAX110,20% ao ano
Small CapsCesta de ações das empresas com menor valor de mercado da bolsaSMAL110,69% ao ano
S&P 500Ações das 500 maiores empresas dos Estados UnidosIVVB110,24% ao ano

Quais são as diferenças entre ETFs e fundos de ações?

Qualquer pessoa pode investir em ETFs, basta ter uma conta em uma corretora. É por meio dela que o investidor terá acesso às negociações na bolsa de valores.

A mecânica é a mesma do mercado de ações: os ETFs são comprados ou vendidos em lotes de 10 cotas. Assim, se a cota do BOVA11 estiver sendo negociada a R$ 80, quem quiser investir nesse ETF terá de desembolsar pelo menos R$ 800 para adquirir o lote mínimo.

O valor dessa transação é menor do que a aplicação mínima exigida por muitos fundos de ações, que hoje está em torno de R$ 5 mil. A taxa de administração de um ETF também é menor, como você viu no quadro acima. As dos fundos de ações costumam ser de 2% ao ano.

E isso sem contar que, dependendo da estratégia desses fundos de ações, pode haver uma cobrança extra quando sua performance ultrapassa a rentabilidade de determinado indicador, a chamada taxa de performance.

Geralmente, a taxa de performance dos fundos de ações é de 20% sobre o rendimento que exceder o indicador de referência, como o CDI.

Por outro lado, há outros custos envolvidos na compra e na venda de ETFs. São eles:

  • Corretagem: valor cobrado pela corretora a cada operação de compra ou venda de ETFs (cerca de R$ 10, varia conforme a corretora);
  • Emolumentos: valor cobrado pela bolsa a cada operação de compra ou venda de ETFs (0,0325% do valor transacionado);
  • Taxa do agente de custódia: tarifa cobrada pela Câmara Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) para registrar as operações feitas com ETFs (0,0130% por operação de até R$ 1 milhão);
  • Imposto Sobre o Serviço (ISS): Em São Paulo, o investidor paga uma alíquota entre 2% e 5% sobre o valor transacionado.

O Imposto de Renda incide da mesma forma que em outras operações de renda variável. Ele é cobrado apenas quando o investidor obtém lucro com a venda de seus ativos. A alíquota é de 15% sobre a diferença entre o que foi investido e o que foi resgatado.

Assim, se um investidor aplicou R$ 800 em ETFs e resgatou R$ 1 mil, o IR vai incidir apenas sobre os R$ 200 de diferença. Ou seja, o valor devido de imposto de renda será de R$ 30.

Principais vantagens de investir em ETFs

Uma das principais vantagens de investir em ETFs é a transparência. Como seu objetivo é replicar um índice, o investidor já sabe quais ativos está comprando.

É diferente de aplicações que exigem uma busca por informações e documentos – disponíveis no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).  para saber em quais produtos o dinheiro está aplicado, como é o caso dos fundos de investimento tradicionais.

Justamente por isso, é mais fácil acompanhar a performance de um ETF. Basta consultar o comportamento do índice em que ele se baseia, sempre levando em consideração os custos das operações com esse tipo de aplicação.

Outra característica importante dos ETFs é sua liquidez. As transações de compra e venda geralmente levam três dias úteis para serem compensadas. Há fundos em que esse prazo fica entre oito e 45 dias.

Vale lembrar que o preço das cotas de ETFs varia constantemente, como o de qualquer outro investimento em renda variável.

Mas como os ETFs são compostos por um grupo de ativos, há muito mais chances de a performance negativa de uma ação ser compensada pelo resultado positivo de outra.

Essa característica faz lembrar de algum princípio importante do mundo dos investimentos? Acertou quem pensou na diversificação.

Os ETFs são importantes ferramentas para quem quer diversificar com menos trabalho e a um custo mais baixo. Eles são capazes de aproveitar bem os momentos de alta do mercado de ações e diluir perdas em momentos de incerteza.

Além disso, eles também são a melhor forma de um investidor que não tem muito dinheiro alcançar um resultado melhor em suas aplicações.

Um estudo feito pela Magnetis mostrou que, entre 2000 e 2015, só quem tinha R$ 100 mil para investir teria alguma chance de conseguir um resultado melhor no mercado de ações do que aplicar diretamente no Ibovespa. E isso investindo em pelo menos seis fundos de ações diferentes.

Ou seja: seria necessário muito esforço (e recursos financeiros) para reproduzir fielmente o comportamento do índice sem a ajuda de um ETF.

Portanto, se você estiver pensando em aumentar a variedade de produtos financeiros em sua carteira de investimentos, não deve deixar de considerar investir em ETFs para ter rendimentos melhores.

 

Gostou de conhecer o ETF? Deixe aqui o seu comentário caso tenha alguma dúvida ou queira compartilhar a sua experiência!

Luciano Tavares

Luciano Tavares é fundador e CEO da Magnetis. Administrador de carteiras credenciado pela CVM e planejador financeiro CFP ®, tem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro.

 

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.