Qual é o melhor produto em renda fixa?

Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, LC, RDB e assim por diante. A renda fixa é uma classe de investimentos que abrange diferentes produtos e, o mais importante, produtos que são muito diferentes entre si. Por serem muito mais seguros que a renda variável, os investidores procuram muito essa classe de ativos. Mas como saber qual é o melhor produto em renda fixa?

o melhor produto em renda fixa

Características dos investimentos em renda fixa

Todos os investimentos em renda fixa possuem algumas características em comum. Para saber qual o melhor produto em renda fixa para o seu bolso, é necessário entender todos os atributos e decidir quais são as suas prioridades.

 

  • Emissor: é o “dono” do investimento, é a instituição financeira que “fabrica” os investimentos. No geral, pode ser um banco (Itaú, Bradesco, Daycoval…) ou uma financeira (Avista, Dacasa…).
  • Distribuidor: é a instituição financeira responsável por distribuir a aplicação para as pessoas, é a ponte entre o emissor e o investidor. Os distribuidores mais conhecidos são as corretoras de valores (XP, Rico, Easynvest…), mas os investimentos podem também ser distribuídos pelos seus próprios emissores (bancos ou financeiras).
  • Investimento mínimo: infelizmente, não dá pra sair investindo em todos as aplicações com o valor que quiser. Os investimentos exigem um valor mínimo para aplicar e isso pode ir de R$ 1,00 até mais de R$ 1 milhão!
  • Prazo de vencimento: em renda fixa, não dá para investir em um título para o resto da sua vida. Todo produto possui o seu prazo de vencimento definido e, depois disso, o seu dinheiro precisa ser retirado de lá. Os prazos podem ir desde 30 dias até 30 anos ou mais.
  • Liquidez: liquidez é a possibilidade de resgatar o dinheiro. Se a liquidez for diária, significa que você pode resgatar o seu investimento a qualquer momento. Se a liquidez for no vencimento, o seu dinheiro está “preso” até a data final.
  • Garantia do FGC: o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é responsável por garantir alguns investimentos em renda fixa até R$ 250.000,00 por grupo financeiro. Isso significa que, se a instituição financeira quebrar e o investimento for garantido pelo FGC, você recebe o seu dinheiro de volta.
  • Tributação: existem investimentos em renda fixa que são tributados pelo imposto de renda e existem outros que não são tributados. Em ambos os casos, você precisa declará-los, mas os “não-tributados” não sofrem a cobrança dos impostos.
  • Prefixado ou pós-fixado: os investimentos prefixados são aqueles que você conhece a rentabilidade no dia do investimento, não sendo alterada por nenhum fator externo (isso é mostrado em % ao ano). Os investimentos pós-fixados são aqueles que você só sabe a rentabilidade no dia do resgate, já que esses investimentos estão atrelados a algum indexador (isso é mostrado em % do CDI, SELIC, IPCA e etc).

 

E aí, qual das 8 características é a mais importante para você? Vou te propor um desafio: que tal colocá-las em ordem de importância? Faça uma lista e decida, de 1 a 8, quais são as suas prioridades. Isso vai te ajudar muito a saber qual é o melhor produto em renda fixa =)

Tipos de investimento em renda fixa

Os investimentos em renda fixa podem ser públicos (títulos do Tesouro Direto) ou privados (CDB, LCI, LCA, LC e etc). Existem diversos tipos disponíveis no mercado, mas aqui vou te mostrar os seis principais:

 

  • Tesouro Direto: é o programa de investimentos do Tesouro Nacional. Não é garantido pelo FGC, mas é garantido pela maior entidade do país: o governo federal. Dá para comprar títulos com a partir de R$ 30,00! A liquidez é diária, mas vale ficar atento às taxas diárias para não perder dinheiro na venda do seu título antes do vencimento. O Tesouro Direto oferece três títulos: Tesouro IPCA, Tesouro Prefixado e Tesouro SELIC, sendo que os dois primeiros podem ser encontrados também na forma de “juros semestrais”.
  • CDB: o Certificado de Depósito Bancário (CDB) é o queridinho dos brasileiros. Dá para investir com a partir de R$ 1,00 (sim, você leu certo!) e é muito flexível. Existem CDBs com liquidez diária ou no vencimento e podem ser pré ou pós-fixados. São sempre tributados pelo imposto de renda e são garantidos pelo FGC. Os CDBs são emitidos por bancos e você os encontra nos próprios bancos ou em corretoras.
  • LCI: a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) não é tão comum porque, ao investir em uma LCI, o seu dinheiro vai diretamente para o setor imobiliário, não podendo ser destinado a outras áreas. A liquidez pode até ser diária, mas é mais raro de encontrar. Por lei, o tempo mínimo de resgate é 90 dias. A característica mais forte da LCI é que é um investimento isento da tributação do imposto de renda. As LCIs são emitidas por bancos e podem ser encontradas nos próprios bancos e nas corretoras. E o melhor? Garantidas pelo FGC.
  • LCA: a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) é muito parecida com a LCI. A única diferença é que, ao investir em uma LCA, o seu dinheiro vai diretamente para o setor do agronegócio, e não para o setor imobiliário. As outras características são as mesmas: liquidez pode ser diária ou no vencimento, o tempo mínimo de resgate é 90 dias e é um investimento isento da tributação do imposto de renda. Assim como as LCIs, as LCAs são emitidas por bancos, podem ser encontradas nos próprios bancos e nas corretoras e são garantidas pelo FGC.
  • RDB: o Recibo de Depósito Bancário (RDB) é conhecido como “o CDB das financeiras” já que eles são emitidos e distribuídos por financeiras. A liquidez desse título é sempre no vencimento e eles podem ser prefixados ou pós-fixados. São sempre tributados pelo imposto de renda e são garantidos pelo FGC. Os RDBs costumam ter uma rentabilidade mais alta do que os investimentos de bancos.
  • LC: a Letra de Câmbio (LC) não tem nada a ver com “câmbio” no sentido de “moeda estrangeira”. É um investimento também emitido e distribuído por financeiras e que costuma ter uma rentabilidade maior. A liquidez é sempre no vencimento, mas pode ser pré ou pós-fixada. As LCs são sempre tributadas pelo imposto de renda e são garantidas pelo FGC.

 

Qual foi o investimento que mais brilhou os seus olhos? Consegue decidir?

Qual é o melhor produto em renda fixa?

Agora que você já conhece as oito características principais dos investimentos em renda fixa e os seis tipos principais de investimento, chegou a hora de definir qual é o melhor produto em renda fixa!

Como a gente sempre diz aqui no Yubb, não existe o melhor produto e sim a melhor opção PARA VOCÊ. Nesse caso, tudo vai depender de quais características você mais prioriza na sua vida financeira. Alguns exemplos:

  • Se você prioriza a rentabilidade, investir nas financeiras (RDB ou LC) pode ser a melhor opção.
  • Se você prioriza a segurança, investir no Tesouro SELIC pode ser a melhor opção.
  • Se você quer um lugar para colocar a sua reserva de emergência, a melhor opção é um CDB com liquidez diária.
  • Se você quer ficar acima da inflação, invista no Tesouro IPCA.
  • Se você tem pouco dinheiro para investir, vá de títulos do Tesouro Direto ou de CDBs.
  • Se você confia no setor imobiliário, invista em uma LCI.

E por aí vai…

Eu sei que talvez essa não era a resposta que você procurava, mas a verdade é que o mundo dos investimentos é muito diferente de pessoa para pessoa.

 

E aí, qual é o melhor produto em renda fixa PARA VOCÊ? =) Deixe aqui nos comentários que eu vou adorar ler!