Inicio Blog Página 24

Como usar o balanceamento dinâmico para melhorar seus investimentos

0
balanceamento dinâmico

Muita gente quer diversificar os investimentos, mas não tem ideia de como fazer isso sem correr muito risco. Uma técnica muito interessante e útil é o balanceamento dinâmico. Mas o que é isso e como funciona?

Balanceamento dinâmico é uma técnica desenvolvida por Benjamin Graham, um dos maiores investidores do mundo. Quando você não sabe o futuro da economia e quer ter um bom retorno, a ideia é dividir o seu dinheiro: 75% em renda fixa e 25% em renda variável.

Depois de um período (Graham recomenda um ano), você vai até o seu portfólio e observa como ele se comportou. Se a bolsa subiu, por exemplo, os seus 25% em renda variável tornaram-se 35%. O que você faz? Vende uma parcela disso e aplica em renda fixa para voltar a proporção original de 25%/75%. Ou seja, você vende na alta e compra na baixa, usando a volatilidade do mercado a seu favor.

A gente esteve com Luiz Fernando Roxo, do Zeneconomics e da TV Infomoney, que sabe tudo sobre o assunto, e ele deu dicas incríveis para aplicar na vida financeira. Tá preparado? Então PLAY!

Gostou do vídeo? Deixe um like, compartilhe com a galera, inscreva-se no canal do Yubb e ative as notificações para não perder nada

 

Vai começar a usar o balanceamento dinâmico nos seus investimentos? Se tiver alguma dúvida ou comentário, deixe aqui embaixo 😉

A importância dos juros compostos para a sua independência financeira

0

Quando decidimos começar a investir, uma das primeiras coisas que devemos ter em mente é o objetivo desse investimento. Afinal de contas, não faz o menor sentido simplesmente guardar dinheiro por guardar. E, nesses termos, os juros compostos são muito importantes.

E, sem dúvidas, o que a grande maioria dos investidores tem como objetivo principal é a tão sonhada independência financeira. Ou seja, não depender mais da renda do trabalho e poder viver apenas do rendimento dos investimentos de seu patrimônio.

Para muita gente, essa pode parecer uma missão impossível à primeira vista, viável apenas para uma minoria insignificante das pessoas.

No entanto, a boa notícia é que esse é um sonho viável para muito mais pessoas do que aparenta, desde que o investidor possa contar com duas variáveis indispensáveis: juros compostos e investimento de longo prazo!

Quer entender melhor? Leia o texto e também veja o infográfico abaixo =)

juros compostos

A importância dos juros compostos

Assim como ocorre com os grandes números (você consegue imaginar o que é 1 trilhão de alguma coisa?), as pessoas em geral possuem grande dificuldade de visualizar a força e poder dos juros compostos.

Isso acontece porque o cérebro humano possui uma tendência a pensar de forma linear, como uma escada que sobe degrau por degrau.

Não à toa, ninguém menos que um dos maiores gênios da humanidade, Albert Einstein, classificou os juros compostos como sendo “a força mais poderosa do universo”!

Mas para isso ficar ainda mais claro, vamos fazer um pequeno teste.

Responda com sinceridade: Se eu te fizesse a seguinte oferta com apenas duas alternativas, qual você escolheria?

A) Ganhar de presente 1 milhão de reais agora, líquido na sua conta bancária para usar como quiser; ou

B) Ganhar 1 centavo, com correção de 100% ao dia, daqui a 1 mês.

E aí?

Se você for como a maior parte das pessoas, certamente escolheria a alternativa “a”.

A má notícia é que se você tivesse feito essa escolha, teria deixado de ganhar R$ 10.737.418,27 (mais de dez milhões!) em apenas 30 dias, escolhendo a segunda alternativa!

Duvida? Então vamos fazer as contas juntos, nos guiando pela tabela abaixo:

Figura 1 – Tabela retirada do Livro “Investidor Especialista”. Produção exclusiva do Mais Retorno.

Isso acontece simplesmente porque o valor dos rendimentos vai ficando maior a cada capitalização (a incidência do juro), afinal de contas o juro seguinte é aplicado sobre um valor cada vez maior.

No entanto, para que o juro composto possa trabalhar com seu potencial máximo, um ingrediente adicional é indispensável: o tempo.

A importância do longo prazo

Como visto até aqui, a cada capitalização que ocorre no investimento, o rendimento vai ficando maior.

Logo, quanto mais capitalizações incidirem em um investimento, mais poderoso será o efeito do juro composto.

É justamente por isso que o ingrediente “tempo” faz toda a diferença nessa equação.

Veja o que aconteceria com dois investimentos de R$ 10.000,00 aplicados a juros de 10% ao ano, sendo que um deles ficou aplicado por 5 anos e outro por 10:

Como é possível notar na simulação acima, apesar do investimento ‘B’ ter ficado apenas o dobro do tempo aplicado, seu retorno foi quase o triplo! Isso com investimentos com valores iniciais e remuneração de juros exatamente iguais.

E, à medida que o tempo passa, essa diferença vai ficando cada vez maior!

Agora, para finalizar a receita daquele plano perfeito para alcançar a independência financeira falta apenas um ponto: juntar os dois ingredientes!

Juros Compostos + Tempo – A importância de comparar investimentos

Até aqui acredito que já tenha ficado clara a ideia e a importância de que é preciso investir a longo prazo para que os juros compostos possam trabalhar a todo vapor.

Assim como quanto maior o tempo investido, maior o retorno do investimento, o mesmo vale para os juros compostos. Ou seja, é importantíssimo que o investidor procure sempre investir nas alternativas que possam render os maiores juros compostos ao longo do tempo.

Por mais óbvia que pareça essa questão, nem sempre é tão claro o peso que às vezes uma pequena diferença nos juros causa no resultado do investimento ao longo do tempo.

Para entender melhor essa diferença, imagine 3 investimentos diferentes A, B e C em que você aportaria mensalmente R$ 1.000,00 ao longo de 10 anos, sendo que cada um terá um retorno mensal de 0,6%, 0,7% e 0,8%, respectivamente.

No final do período você teria o seguinte resultado:

Ou seja, uma simples diferença de 0,1% ao mês produziria uma diferença de cerca de R$ 12,4 mil entre os investimentos ‘A’ e ‘B’ e de R$ 13,4 mil entre os investimentos ‘B’ e ‘C’. Incrível, né?

Portanto, desde que os investimentos comparados contem com as mesmas características de custos, risco e liquidez, cada % conquistado representa diretamente uma antecipação do seu sonho da independência financeira.

Mas diante de um universo tão vasto e complexo como o mercado financeiro, como encontrar boas oportunidades de investimentos?

Como comparar investimentos com eficiência e simplicidade

Tudo que foi dito anteriormente não serve para absolutamente nada se ficar apenas na teoria. No entanto, colocar na prática essa pesquisa, comparação e investimento nem sempre foi uma atividade trivial.

Para quem já está nesse mercado há algum tempo, ainda deve se lembrar como era trabalhoso pular de banco em banco tentando negociar as melhores aplicações financeiras e taxas de retorno com os gerentes.

E se você tinha apenas uma conta, então a sua única alternativa era aceitar a taxa oferecida (em geral bem ruim, por sinal) e ficar por isso mesmo.

Por sorte esse mercado se transformou completamente nos últimos anos através do crescimento das corretoras independentes e do desenvolvimento dos modelos de “shopping center financeiro” que já é cada vez mais comum no mercado brasileiro.

E apesar desse novo conceito ter revolucionado a forma como se investe no Brasil, o Yubb conseguiu dar mais um novo passo nessa direção.

Graças à tecnologia desenvolvida pelo Yubb, agora nem mesmo “conta” em banco ou corretora você precisa mais ter para fazer essa pesquisa!

Com apenas alguns cliques você já consegue fazer uma varredura completa em todas as aplicações financeiras disponíveis no mercado brasileiro e comparar aquela que faz mais sentido para o que você precisa.

Reforço: tudo isso em apenas alguns segundos!

Não existe mais desculpas para investir mal, hein!

Se você ainda está com seu dinheiro na poupança ou naquele velho fundo DI do “bancão”, comece a comparar agora mesmo, pois como vimos o tempo é um ingrediente precioso para a conquista da sua independência financeira!

Gostou desse conteúdo? Então baixe agora mesmo seu exemplar do livro Investidor Especialista no Mais Retorno e veja muito mais dicas sobre investimentos em uma linguagem totalmente inovadora, simples e divertida!

 

Entendeu a força dos juros compostos? Vai começar a investir agora? Deixe seu comentário aqui embaixo =)

 

Felipe Medeiros
Economista e fundador do site Mais Retorno, também foi um dos criadores dos sites Bolsa Financeira e Melhores Fundos e de outras fintechs ao longo dos últimos 10 anos. Tem como objetivo compartilhar suas experiências e se conectar com outros investidores e entusiastas do mercado.

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.

Easynvest vale a pena?

0
Easynvest vale a pena?

Você conhece a corretora Easynvest? É uma instituição financeira brasileira muito importante e que oferece diversos produtos de investimento desde Tesouro Direto até ações na bolsa de valores.

Todo o processo de abertura de conta é online e, em poucos minutos, você consegue preencher um simples cadastro com as suas informações pessoais, profissionais e financeiras. Depois de preenchido, é só enviar os seus documentos (Tudo digital, ok? Pode ser digitalizado ou por foto) e esperar a conta ser aprovada.

Será que essa aprovação é rápida? Será que vale a pena? Quanto tempo demora abrir uma conta na Easynvest? A gente fez esse teste e gravou tudo para você. Dá o play e confira!

Como você viu, abrir uma conta de investimentos na Easynvest é simples e MUITO rápido. Tudo é feito digitalmente e sem dor de cabeça. Gostou do vídeo? Compartilhe com os seus amigos, inscreva-se no canal e ative as notificações para não perder nenhuma novidade.

 

O que achou da Easynvest? Já tem conta aberta ou vai abrir uma conta? Deixe o seu comentário aqui embaixo 😉

Como aprender sobre investimentos?

0
como aprender sobre investimentos

Hoje, no Brasil, existem mais de 100 milhões de pessoas com dinheiro na poupança. A maioria dessas pessoas não sabe que existem opções melhores e acabam perdendo a oportunidade de aprender sobre investimentos e ganhar mais dinheiro.

Se você está neste post, provavelmente quer começar a investir ou está começando agora, certo? Muita gente quer sair da poupança e rentabilizar o valor que tem guardado, mas não sabe nem por onde começar.

Investimentos têm a fama de serem complicados, complexos e reservados para aqueles que têm muuuito dinheiro na conta. Isso tudo é mentira, ok? Qualquer um pode (e deve) investir para ter uma qualidade de vida melhor e uma vida financeira muito mais tranquila.

“Eu não sei absolutamente nada sobre o assunto! Como posso aprender sobre investimentos?”. Calma! Primeiramente, para desmistificar, não é necessário ser nenhum expert para aplicar o dinheiro. Sabendo o básico já é possível começar a ganhar mais.

Mas existem ferramentas que podem te ajudar muito a aprender sobre o tema e se sentir mais seguro na hora de investir. Quer saber quais? Veja o infográfico que a gente fez e continue lendo o texto abaixo =)

como aprender sobre investimentos

1. Leituras

Ler = muito amor. As palavras são um meio importante sempre que o assunto é “aprendizado”. Ao querer aprender sobre investimentos, muito provavelmente você vai cair em algumas páginas de leitura que podem ser online ou offline.

Livros e e-books: Nem precisa dizer nada, né? Ler livros é sempre um prazer interessante e quando o livro te traz um conhecimento extra, melhor ainda. Existem diversos autores especializados em finanças e livros muito conhecidos que te ensinam a cuidar do seu dinheiro e a investir de uma maneira muito didática. Além dos livros físicos que você compra nas livrarias, existem os e-books – as versões digitais dos livros. Alguns e-books sobre investimentos e finanças são até gratuitos! Vale a pena pesquisar para ver quais se encaixam para o que você está buscando.

Blogs: Muitos blogs e portais de investimento podem ser uma ótima fonte para buscar conhecimento e aprender sobre assuntos que talvez você não aprenderia de outra forma. O blog do Yubb, que você está lendo agora, sempre aborda diferentes tipos de temas de uma forma descontraída para se aproximar do leitor. Se tiver algum assunto que você gostaria de saber, manda uma mensagem para a gente! Vamos adorar escrever sobre aquilo que você tem dúvidas.

2. Vídeos

O YouTube tá bombando, né? Assistir vídeos é uma ótima forma para você aprender sobre investimentos de uma maneira fácil, rápida e sem muitas complicações.

Existem diversos canais que falam sobre finanças e investimento de uma forma descontraída e que podem ser a solução perfeita para você aprender sobre o assunto. A Folha de S. Paulo fez uma matéria sobre o assunto indicando alguns canais que levam educação financeira para o público e vale a pena dar uma conferida.

O interessante do vídeo é a questão visual. Por mais que um livro seja mais completo, muitas vezes não conseguem ficar muito tempo lendo um livro. O vídeo, por outro lado, prende a sua atenção e é um jeito mais simples de a mensagem fixar na sua mente.

E você, por acaso, já é inscrito no MELHOR canal de YouTube do Brasil? Ainda não? Então tá esperando o que para se inscrever no canal do Yubb? É só clicar aqui para conhecer e se apaixonar. (A gente é super modesto hehe <3)

Lá, a gente faz vídeos com as dúvidas dos usuários, visita instituições financeiras, faz parcerias com youtubers de sucesso, conversa com pessoas na rua… Tem de tudo para você ficar por dentro de todos os assuntos sobre finanças e investimentos. Corre para lá.

3. Conversas

Conversar com os amigos e familiares é uma delícia, né? E se você juntar o útil ao agradável e aprender sobre investimentos enquanto bate um papo descontraído? É o melhor dos dois mundos!

Com certeza você tem na sua família e/ou no seu círculo de amigos alguém que investe dinheiro. Pode ser um grande ou um pequeno investidor, mas todo mundo conhece alguém que sabe cuidar bem do seu dinheiro.

Esse é o momento ideal para você procurar essa(s) pessoa(s) e bater um papo! Ela provavelmente vai te dar dicas que você não encontraria em nenhum outro lugar já que tem a experiência de quem já investe.

“Como começo a investir?”, “O que faço para ganhar mais?”, “Onde você investe?”, “Qual corretora você usa?”, vale perguntar de TUDO! Toda informação a mais é um conhecimento que você não tinha antes e que pode te ajudar na hora de aplicar o dinheiro.

Dica importante: não siga todos os conselhos das pessoas! É muito bacana conversar sobre o assunto e trocar experiências, mas tudo depende de caso para caso. O fato de o seu amigo ter ganhado muito dinheiro em bitcoin, por exemplo, não significa que você vai ganhar.

É necessário analisar o seu perfil de investidor e o seu objetivo para saber qual é o investimento que mais se encaixa na sua vida financeira. Não dá para seguir TUDO que é dito para você, mas essas conversas são extremamente importantes.

4. Na prática

Não tem como, esse é o melhor jeito de aprender sobre investimentos: investindo! Muita gente quer virar um expert, sai lendo todos os livros, vendo todos os vídeos e conversando com os especialistas, mas se esquecem que o verdadeiro aprendizado está na experiência.

É sempre bacana ter um conhecimento básico antes de transferir o seu dinheiro, mas, no geral, você só vai saber como funciona quando começar a investir.

O primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora de valores. É claro que você sempre pode investir pelo banco da sua conta corrente, mas, na maioria dos casos, as melhores oportunidades estão fora dos grandes bancos.

Ao abrir conta na corretora, você vai ver como aquele ambiente funciona, quais são as informações que você precisa dar, quais investimentos existem disponíveis… E isso tudo é gratuito, ok? Não existe nenhuma taxa de abertura ou de mensalidade em contas de investimento.

Depois disso, transfira uma quantia para a sua conta de investimentos. Não precisa ser muito! Existem investimentos a partir de R$ 1,00 e você pode começar investindo pouco só para sentir o momento.

Muita gente tem medo de mexer com dinheiro, olha o extrato todos os dias, não gosta de fazer transações online, etc etc etc. Essa é uma característica que só pode ser mudada com o hábito. Sempre vai existir aquele frio na barriga na hora de transferir o seu dinheiro e fazer um investimento, mas, com o tempo, isso vai diminuindo e se torna um hábito.

Resumindo: vai lá, abra a sua conta e invista uma quantia pequena. Aos poucos, você vai criando experiência, vai adquirindo novos conhecimentos, vai sentindo vontade de conhecer cada vez mais e essa é, sem dúvidas, a melhor maneira para aprender sobre investimentos.

 

Agora que você já sabe onde aprender sobre investimentos, não tem mais desculpa para não investir! Gostou das dicas? Comente aqui embaixo o que achou e fique à vontade para tirar as suas dúvidas =)

Qual é a diferença entre corretora e distribuidora?

1
Diferença entre corretora e distribuidora

Existem diversos tipos de instituições financeiras: bancos, distribuidoras, financeiras, corretoras, fintechs… Muita gente fica confuso no meio de tanto nome! Uma das coisas que mais perguntam para a gente aqui no Yubb é a diferença entre corretora e distribuidora e chegou a hora de finalmente entender isso.

E a resposta é: NÃO TEM DIFERENÇA! Sim, você leu certo. Tanto corretoras quanto distribuidoras podem atuar no mesmo mercado e realizam as mesmas funções. Para você, investidor, o importante é saber se aquela instituição opera com o produto que você quer investir. Se sim, não importa se for uma corretora ou distribuidora.

“Mas por que os nomes são diferentes?” Até 2009, existia uma grande diferença. Enquanto a corretora podia atuar no mercado de ações, a distribuidora não podia. Em 2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Banco Central permitiram que as distribuidoras atuassem no mercado de ações e isso fez com que a diferença entre corretora e distribuidora não exista mais.

A gente esteve na Órama, que é uma distribuidora localizada no Rio de Janeiro, e conversou com a Sandra Blanco, consultora de investimentos da instituição. Foi ela que deu todas as explicações que a gente precisava! Quer ver? Play!

Compartilhe esse vídeo com os seus amigos, inscreva-se no canal do Yubb e ative as notificações do YouTube para não perder nenhuma novidade!

 

Gostou de entender a diferença entre corretora e distribuidora? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui embaixo nos comentários =)

Entenda por que poupar é mais importante do que você imagina

0
Saiba como poupar dinheiro

Quer aprender a poupar dinheiro e investir para ganhar mais? Isso é possível! A maioria das pessoas acredita que investir é coisa de rico  e também que, se começar a investir, vai conseguir rendimentos altos em pouco tempo. Infelizmente, não é bem assim.

Já vi muita gente conhecer os investimentos em renda fixa e ficar decepcionada com a “baixa” rentabilidade (o que não é verdade, tudo depende do ponto de vista), porém sempre existe a ilusão de que ficaremos ricos investindo. A parcela dos investidores que fica rica somente investindo é bem pequena, acredite!

O pior de tudo é que essas mesmas pessoas que acham que investir rende pouco, acreditam que de alguma forma vão ficar ricas rapidamente. Aí elas acabam pingando de “oportunidade” em “oportunidade”, como um investimento mágico que rende 10% ao mês ou até mesmo ficar jogando a vida inteira na loteria.

O que acontece no final da vida dessas pessoas é que elas continuam exatamente no mesmo padrão de vida que sempre viveram. Se todo dinheiro gasto nessas “oportunidades” fosse poupado e investido, elas teriam uma excelente aposentadoria.

Por isso, fazer uma poupança sistemática e de modo progressivo é a melhor forma de acumular riqueza.

Quanto mais tarde você iniciar sua poupança para a sua aposentadoria, pior. De duas, uma: ou você irá precisar poupar uma quantia muito maior ou irá precisar encontrar melhores investimentos para ver o seu dinheiro render bem.

Corrida dos ratos

Financeiramente falando, a “corrida dos ratos” é algo bem comum. O conceito foi apresentado por Robert Kiyosaki no best-seller “Pai Rico Pai Pobre”.

Veja esta imagem para entender!

como poupar dinheiro

O que acontece com a grande maioria das pessoas quando passa a ganhar mais é sentir necessidade de mais dinheiro, o que faz com que elas não se sintam satisfeitas nunca. Logo, mais dinheiro não resolve nada.

Nessa análise, o pobre e o “classe média” que agem assim estão no mesmo patamar, pois sempre há necessidade de mais.

Por isso, poupar dinheiro sempre é a solução. Para que você saia da “corrida dos ratos”, é necessário viver um pouco abaixo de suas necessidades e poupar sistematicamente.

Kiyosaki também nos ensina a acumular sempre mais ativos do que passivos. Ativo, neste caso, é tudo que lhe traz dinheiro e, passivo, tudo que lhe toma dinheiro.

Como poupar?

Para aprendermos a poupar dinheiro, existem diversos métodos práticos. O mais conhecido e mais recomendado é o “Desafio das 52 Semanas”. O desafio consiste em poupar R$ 1,00 na primeira semana do ano, R$ 2,00 na segunda semana, R$ 3,00 na terceira e assim por diante, daí as 52 semanas (quantidade de semanas em um ano).

Um método um pouco mais trabalhoso, porém, com a mesma eficácia, é o controle de orçamento. Consiste em anotarmos todos os nossos gastos mensais em uma planilha e identificar onde é possível realizar cortes no orçamento. A partir daí, é só escolher uma quantia para poupar.

Mas lembre-se: não devemos esperar sobrar dinheiro para investir. A sua poupança deve começar assim que você receber o seu próximo salário e, a partir do que sobrar, gastar conforme estabeleceu em seu orçamento. Do contrário, esperar sobrar para investir é uma furada já que em muitos casos, não sobra nada.

Entendeu porque poupar dinheiro é mais importante que tudo?! Se não poupamos, não investimos. Se não poupamos, não podemos comprar nada que não se encaixe no nosso orçamento.

Faça uma reflexão: se você quer comprar algo que custa X, você poupa um valor X e compra; se você quiser comprar algo que custa duas vezes o valor de X e você não consegue esse valor agora, você pode poupar X hoje e X mês que vem; se você quiser comprar algo que custa duas vezes o valor de X e ainda fazer sobrar dinheiro, você investe X hoje e X mês que vem, gasta os 2X e guarda os rendimentos. Genial, não é mesmo?!

Agora, imagine valores poupados e investidos aumentando de valor com o tempo através dos juros compostos. Esse é o segredo dos investimentos!

 

E aí, vai começar a poupar dinheiro? Deixe sua história ou a sua dúvida aqui embaixo nos comentários!

Douglas Gonçalves
Douglas Gonçalves é dono do blog Dicas Financeiras e também criador de Ebooks sobre finanças e investimentos.

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.

Saiba como não perder dinheiro com investimentos

0
Como não perder dinheiro

Nem tudo é felicidade no mundo dos investimentos. Por mais que o objetivo do investidor seja sempre ganhar, muitas vezes ele pode perder dinheiro por causa das oscilações do mercado. Esse risco sempre vai existir! Mas como evitá-lo?

Nos investimentos mais arriscados (opções em renda variável como bolsa de valores, câmbio, criptomoedas…), é comum existirem pessoas que estão acostumadas a perder dinheiro. Como o risco é maior, a possibilidade de GANHAR MAIS é maior e possibilidade de PERDER também é maior.

O objetivo do investidor é fazer com que o retorno supere as perdas. O bom investidor é aquele que está disposto a perder dinheiro a fim de, no futuro, ter uma rentabilidade tão grande que supere aquilo que ele perdeu.

“Ok, já entendi que existe o risco de perder dinheiro, mas como eu posso evitar isso ao máximo?” Uma das dicas é: estudando! Saber sobre o assunto traz mais confiança para que você leve o risco ao seu favor e tenha uma rentabilidade maior.

Quer saber outras dicas? A gente esteve com o Gustavo Lobo, do canal de YouTube Gustavo Lobo, para falar sobre o assunto. Tá imperdível! Confira 😉

Já sabe, né? Inscreva-se no canal, compartilhe esse vídeo com os seus amigos e ative as notificações para não perder os novos conteúdos!

Gostou das dicas? Você já teve medo de perder dinheiro com investimentos? Deixe sua história aqui embaixo nos comentários =)

5 dicas de segurança para investir melhor

0
segurança para investir

“Investir não é seguro”, “Não quero perder dinheiro”, “Prefiro a segurança da poupança”, “Tenho medo de transferir o dinheiro”. Essas frases (e muitas outras) são muito comuns de serem ouvidas. Mas como a gente pode mudar esse pensamento e ter mais segurança para investir?

Para te auxiliar nessa missão, o Yubb reuniu cinco dicas imperdíveis que vão te ajudar muito na hora de investir. Se você segui-las, pode ter certeza que o seu risco está diminuindo muito e que os seus investimentos serão mais seguros do que nunca foram.

Para começar, veja o infográfico que a gente preparou =) Depois é só continuar a ler o texto.

Dicas de segurança para investir

1. Estude sobre o assunto

Conhecimento é tudo. Pode parecer uma frase clichê, mas é verdade. Segurança tem total relação com conhecimento em dois sentidos.

Em primeiro lugar, é a segurança de você com você mesmo. Quanto mais você conhece o assunto, mais sente confiança em continuar e em aumentar os seus investimentos. Quando você pega prática, fica muito mais fácil investir. Em segundo lugar, é a segurança da sua própria aplicação. Se você sabe sobre o assunto, fica muito difícil ser “enganado” e você não acredita em tudo aquilo que te recomendam e isso aumenta a sua segurança para investir.

Um exemplo: você nunca usou um programa de edição de imagens e, de repente, seu chefe pede para você cortar, aumentar o brilho e diminuir o contraste de determinada foto. Você vai abrir o programa e ficar “fuçando” até conseguir as ferramentas que queria. No final, você vai conseguir fazer o que ele pediu, mas se, desde o começo, você já soubesse como funcionava aquele programa, seria MUITO mais simples e rápido.

Com investimentos, é a mesma coisa. Quanto mais você sabe, melhor. É claro que não precisa ser nenhum expert, ok? Mas saber os princípios básicos é muito importante. No exemplo que a gente deu, não é preciso ter quatro anos de faculdade de design para conseguir cortar uma foto e ajustar o brilho.

Ou seja, você não precisa ler todos os livros/sites/blogs do mundo para investir o seu dinheiro, mas é muito importante conhecer o mercado, saber quais investimentos existem, entender qual é o seu perfil… São algumas informações simples que podem ajudar muito. E isso também é muito importante para que ninguém “te passe a perna” na hora de aplicar – isso traz muita segurança para investir.

E é claro que, conforme você vai investindo mais, você pega mais experiência e conhece cada vez mais. Por isso é essencial continuar investindo para conhecer novas aplicações, mudar as suas estratégias e fazer isso se tornar um hábito natural.

2. Entenda os riscos

Todo investimento tem um risco. “Qualquer um?” Sim! “Mas eu quero um que não tenha!” Isso não existe, infelizmente. A dica aqui é entender qual é o risco que você está correndo ao colocar o seu dinheiro em determinado investimento. Se você quiser entender quais riscos existem na hora de investir, fizemos um post muito legal sobre o assunto. É só clicar aqui!

Vamos facilitar um pouco para você, ok? =)

Se você for investir em renda fixa, os investimentos são conhecidos por serem super seguros. Na parte pública (Tesouro Direto) a garantia é a do Tesouro Nacional, ou seja, do governo federal. Na parte privada (CDBs, RDBs, LCIs, etc), a garantia é do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), entidade que “devolve” o seu dinheiro em caso de falência da instituição financeira. Vale lembrar que não são todos os investimentos privados garantidos pela entidade, ok? Fique de olho para não se confundir! Para saber mais sobre FGC, dá uma olhada neste vídeo.  

Se você for investir em renda variável ou fundos de investimento, a situação é um pouco mais complexa. Não há nenhuma garantia que devolva o seu dinheiro caso você o perca, por isso são investimentos mais arriscados. É necessário conhecer bem as oscilações de mercado para não perder dinheiro “à toa”.

Resumindo: entenda os riscos. Infelizmente, investir não é só colocar o dinheiro lá e retirar no prazo de vencimento. Você precisa entender onde está colocando aquela quantia para não ter nenhuma surpresa quanto aos riscos.

Os riscos existem, sim! Mas não é preciso ter medo deles, há muita coisa que você pode fazer para evitá-los e, principalmente, colocar os riscos a seu favor para ganhar mais dinheiro no final =)

3. Preste atenção

Pode parecer bobagem, mas: preste atenção! Existem alguns problemas que podem acontecer na hora de investir que dependem só de você. Os riscos operacionais, por exemplo, podem ser facilmente evitados se você tiver atenção.

Normalmente, quando se trata de dinheiro, as pessoas costumam ter muito mais cuidado. Para fazer uma transferência bancária, por exemplo, é comum confirmar muitas vezes a conta e a agência de destino para não acontecer nenhum problema. Mas erros acontecem, né?

Sem querer, você pode acabar fazendo uma aplicação errada que pode ser muito ruim para o seu bolso. É necessário sempre checar o que você está fazendo (mais de uma vez!) para não colocar o dinheiro em lugar errado.

Essa dica também vale para não confiar em tudo aquilo que vê na internet. Você pode receber um e-mail do seu banco oferecendo um produto incrível com um rendimento espetacular. Ao clicar, era vírus e todos os seus dados bancários foram clonados. O que aconteceu? O investidor não prestou atenção e agiu pela ansiedade do momento.

É importante ser atencioso e paciente com tudo na vida, mas com finanças ainda mais! Basta fazer os procedimentos com calma e concentração que não vai ter erro 😉

4. Diversifique os investimentos

Equilíbrio. Essa é uma palavra-chave na hora de montar o seu portfólio de investimentos. Você com certeza já ouviu a frase “Não ponha todos os ovos na mesma cesta” e, sim, ela é muito real e deve ser aplicada na sua vida financeira.

Diversificar os investimentos significa ter um pouquinho de dinheiro em cada tipo de produto. Se você for mais conservador, por exemplo, pode ter 40% em um CDB, 30% no Tesouro Direto, 20% em um fundo imobiliário e 10% em ações. Se você for mais arrojado, pode colocar maior parte do valor em renda variável e assim por diante.

Dessa forma, você não depende exclusivamente da rentabilidade de um produto, podendo ganhar mais dinheiro. E, além disso, fazer essa diversificação é muito importante para diminuir o risco dos seus investimentos. Se você está procurando mais segurança para investir, colocar o dinheiro em diferentes tipos de produtos é uma das melhores soluções.

5. Compare as opções

Quando você vai comprar uma televisão, você compra na primeira loja que encontra o produto ou faz uma pesquisa de preço para ver quanto pode economizar? Espero que você tenha respondido a segunda opção!

No mundo dos investimentos, a lógica é exatamente a mesma. Você precisa comparar as aplicações que as instituições oferecem para fazer a melhor escolha. Não adianta sair investindo no primeiro banco que vê pela frente depois dizer que não era seguro, hein!

Isso está muito ligado com a dica #1. Você precisa entender sobre o assunto, pesquisar as instituições e conhecer os investimentos disponíveis para conseguir fazer uma boa escolha e correr o menor risco possível.

Comparar os investimentos é um passo muito importante e que auxilia muito na segurança para investir. A gente fez um post super completo sobre o assunto, clique aqui para ler!

E o melhor? Dá para fazer essa comparação diretamente aqui no Yubb. Digite quanto você quer investir e por quanto tempo que a gente te mostra todas as opções disponíveis no mercado para você poder comparar e analisar qual é a melhor para o seu bolso. Quer coisa mais simples que isso?

 

Gostou das dicas de segurança para investir? Vai aplicá-las em seu dia a dia? Deixe sua dúvida ou comentário aqui embaixo =)

Descubra onde investir com a SELIC baixa

0
SELIC baixa: onde investir?

“A SELIC caiu, e agora? Onde eu vou colocar o meu dinheiro?”. Esse desespero é muito comum por parte dos brasileiros quando as taxas de juros sofrem alguma alteração. Os investidores ficam sem saber onde aplicar o dinheiro com as oscilações do mercado.

Diferente do que a maioria das pessoas pensam, mesmo com a SELIC em seu menor nível em toda a história, a renda fixa é uma ótima opção para investir. Basta saber procurar as melhores oportunidades e saber quais se encaixam no seu bolso.

Continuar aplicando em renda fixa é uma boa porque os juros reais que você vai receber são os mesmos que você receberia se a SELIC estivesse alta. Dessa forma, você aproveita a segurança da renda fixa e também consegue encontrar boas rentabilidades.

Uma dica muito bacana é acumular mais capital na hora de investir. Ao invés de aplicar aqueles R$ 100,00 por mês, junte um pouco a mais (R$ 2.000,00, por exemplo) e invista de uma vez. Assim, você consegue pegar uma taxa maior na renda fixa privada como CDBs, RDBs e etc.

Para falar sobre isso, a gente esteve com Cesar Esperandio, Étore Sanchez, Yolanda Fordelone, do canal Econoweek. Eles deram dicas incríveis para quem está em dúvida de onde investir o seu dinheiro com a SELIC baixa. Vem ver!

Gostou do conteúdo? Inscreva-se no canal, ative as notificações e compartilhe esse vídeo com os seus amigos!

 

E você? Onde vai investir com a SELIC baixa? Deixe aqui embaixo nos comentários =)

O passo a passo para investir em ações

0
Como investir em ações

Com a constante redução da taxa SELIC, atualmente em 6,75%, os investimentos de renda fixa têm perdido muito sua atratividade. Embora o investidor não deva se guiar somente pela taxa de rentabilidade, é evidente que a maioria acaba buscando aplicações mais rentáveis para seu dinheiro. Por esse motivo, o que temos visto é uma constante subida das ações na bolsa de valores. Mas como funciona investir em ações?

Neste artigo, separei 5 dicas para você que está querendo entrar nesse “novo mundo”. Antes de começar, dê uma olhada no infográfico e depois continue lendo o texto!

Passo a passo para investir em ações

1) Invista somente o que não lhe fará falta

Infelizmente, as pessoas costumam olhar para a bolsa de valores somente quando as ações já se valorizaram bastante, e por motivos errados.

Normalmente, não investem pensando no valor que as empresas podem gerar, mas somente pensando em quanto podem lucrar com a valorização das ações em relação aos ganhos da renda fixa.

O que você deve ter em mente é que não investirá em ações em vez de títulos de renda fixa, mas sim ambos devem existir em conjunto em sua carteira de investimentos.

Cada tipo de investimento deve servir para determinados objetivos.

Por exemplo, antes de investir em ações, é essencial que você tenha formado sua reserva de emergência em renda fixa.

Isso porque as ações são investimentos muito voláteis e, caso você precise do dinheiro, pode acabar tendo que vender com prejuízo.

Além disso, ações representam partes de empresas, que podem tanto crescer quanto vir à falência, fazendo com que os preços das ações virem zero.

Portanto, as ações devem ser vistas como investimentos de longo prazo (normalmente para a aposentadoria), e não para tentar ganhos rápidos em poucos meses.

2) Defina suas estratégias

Dentro do investimento em ações, existem diversas estratégias que você pode utilizar.

Os dois principais caminhos que existem são “trading” e “buy & hold”.

O trading segue mais uma linha de especulação de preços, normalmente apoiada em análise técnica, para acompanhar a tendência dos preços por meio de gráficos.

O objetivo da estratégia é tentar lucrar em períodos mais curtos, puramente com a valorização (ou desvalorização) das ações.

É uma estratégia de alto risco e que requer um acompanhamento mais próximo do mercado, pois os preços variam a todo momento.

Já a estratégia buy & hold defende a compra de ações por meio de uma análise fundamentalista, ou seja, leitura dos balanços e da qualidade das empresas.

O objetivo dela é um ganho de longo prazo, tanto por meio da valorização das ações (que costuma ocorrer conforme a empresa cresce) quanto pelo recebimento de dividendos, que são as distribuições de parte do lucro da empresa para os acionistas.

A ideia é acumular uma quantidade significativa de ações que permita que você consiga manter sua aposentadoria somente com os rendimentos distribuídos, sem que precise ficar vendendo as ações.

Essa estratégia é, portanto, mais passiva. Você não precisa acompanhar o mercado com tanta frequência, bastando acompanhar as empresas selecionadas mensalmente ou até mesmo anualmente.

Muitos defendem que essas duas estratégias são excludentes em relação à outra.

Eu discordo. Acredito que uma pessoa pode sim utilizar ambas as estratégias, definindo percentuais para cada uma.

Por exemplo, pode traçar que utilizará 90% para comprar ações de longo prazo e destinar 10% para operações de trading.

Cabe a cada um definir o que melhor se encaixa para seu próprio perfil.

O que não julgo aconselhável é fazer 100% trading, pois aí você deixa a totalidade da sua carteira como puramente especulativa, aumentando demais seu risco.

3) Abra conta em uma corretora de valores

Depois de definida a sua estratégia, você precisará abrir uma conta em uma corretora de valores.

Caso você já tenha investimentos em renda fixa, provavelmente já opera com uma corretora.

No entanto, existem corretoras mais focadas em produtos de renda fixa e outras em renda variável.

Assim como existem corretoras com pacotes interessantes de taxas de corretagem (taxa para compra e venda de ações) para quem pretende operar muito.

Analise bem os custos de cada corretora para saber qual é a mais interessante para o seu caso.

Quando estamos começando, os custos operacionais costumam impactar muito em nossos investimentos.

4) Tome cuidado com a diversificação

Algo que você ouvirá muito daqui para frente é: diversifique!

Porém, um erro muito comum do investidor iniciante é querer diversificar demais logo quando está começando.

Muitos, inclusive, acabam partindo para investimentos como ETFs, com a justificativa de que é a melhor opção para começar com uma carteira bem diversificada.

ETFs nem sempre são uma boa opção!

Eles são também conhecidos como fundos de índices, que compram ações de várias empresas que formam determinados índices.

O ETF mais famoso é o BOVA11, que busca compor em seu portfólio as ações do Ibovespa.

No entanto, o grande problema de se investir dessa maneira é que esses fundos não focam em comprar as boas empresas, simplesmente compram todas que compõem os índices.

E esses índices costumam ter empresas boas, médias e ruins, fazendo com que sua carteira fique prejudicada.

Então, como diversificar bem, se os custos operacionais acabam consumindo grande parte do dinheiro?

Você não precisa já começar seu primeiro mês com 20 ações na carteira.

Para investir em ações, defina quantas e quais deseja ter em sua carteira e compre somente uma diferente por mês (talvez duas, se preferir).

Quando nosso capital é baixo, a diversificação não faz tanta diferença assim (e dificilmente ocorrerá uma mudança tão brusca de fundamentos em questão de 1 mês).

Assim, conforme for aumentando seu capital investido, aumentará também automaticamente a sua diversificação.

E a diversificação será sim essencial para reduzir os riscos de sua carteira de ações.

5) Entenda no que está investindo

Independentemente de sua estratégia adotada para investir em ações, você deve saber no que está investindo.

Por exemplo, no trading, embora você esteja operando somente preços, deve saber que tipo de notícias podem influenciar as ações nas quais está operando.

Principalmente em Petrobras e Vale, que são as ações de maior liquidez na bolsa, as notícias influenciam muito nos preços, causando oscilações muito fortes.

Pelo lado do buy & hold, é ainda mais importante conhecer o business das empresas em que está investindo, para poder avaliar as perspectivas de crescimento e perenidade delas.

Procure empresas com bom histórico de lucros e, de preferência, crescentes.

É mais provável uma empresa boa continuar boa do que uma ruim virar boa.

Considerações finais

Essas foram algumas dicas importantes para você que está começando ou deseja começar a investir em ações.

Os principais riscos vêm de não saber o que está fazendo, de querer ganhar muito em poucos meses e de não diversificar.

Portanto, sempre avalie bem os riscos antes de investir, pois eles é que serão decisivos para suas melhores escolhas.

 

Gostou de aprender sobre como investir em ações? Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe um comentário! =)

Vitor Hernandes

Vitor Hernandes é paulistano e tem 28 anos. Fundador do blog Jornada do Dinheiro. Pós-graduando em Finanças, Investimentos e Banking (FIB) pela PUC. Tradutor de formação, investidor por vocação e educador financeiro como missão de ajudar a população brasileira. Eterno aluno, pois sempre há algo novo a aprender, estuda educação financeira e investimentos por hobby, além de atuar no mercado financeiro desde 2011. Os fundos imobiliários são seus investimentos preferidos.

 

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.