Inicio Blog Página 27

Dicionário de termos de investimento 1

0
Significado de termos de investimento

Quem nunca leu um texto sobre investimentos e ficou se perguntando “O que significa essa palavra?” que atire a primeira pedra! No geral, entender o assunto é muito simples, mas existem alguns termos de investimento que são muito específicos e podem trazer algumas dúvidas (e desesperos!).

E, na maioria dos casos, essas expressões são tão essenciais que pode ficar difícil investir sem saber o significado delas. Por exemplo, você está escolhendo em qual CDB investir e você encontra um com liquidez diária e outro com liquidez no vencimento. Se você não tem ideia do que é liquidez, pode acabar escolhendo errado.

Outro caso: navegando pelo Yubb, você encontra um investimento indexado a SELIC. SELIC você sabe que é a taxa básica de juros do Brasil, mas o que significa “indexado”? Aí já bate o desespero e você pode acabar até desistindo de aplicar o seu dinheiro.

Mas, como a gente sempre diz por aqui, conhecimento é tudo! Se você tiver um pouquinho de força de vontade para aprender, vai perceber que o mundo dos investimentos é muuuito menos complexo do que parece.

O interessante é que você pode ir aprendendo aos poucos. Comece com esse post, que te mostra o “dicionário” de alguns termos de investimento e, com mais experiência, você vai aprendendo outras expressões e adquirindo cada vez mais segurança.

A gente vai te mostrar 10 termos de investimento que são muito importantes para quem está aplicando o seu dinheiro. Quer saber? Veja o infográfico abaixo e continue lendo o texto =)

Significado de termos de investimento

Chegou a hora de passar por esses 10 termos de investimento para você entender o significado de todos eles. Vamos lá!

Rendimento

Com certeza você já ouviu a palavra rendimento. “Esse produto de limpeza rende muito”, “Meu rendimento na ginástica hoje foi ótimo”, etc. Nesse universo, esse é um dos termos de investimento mais importantes. Rendimento é o quanto você vai receber a mais do que aquilo que foi investido. Se você colocou R$ 1.000,00 em uma aplicação de um banco e depois de um ano você conseguiu R$ 1.300,00, o rendimento do seu investimento foi de R$ 300,00.

Em termos percentuais, a palavra usada é rentabilidade. No exemplo acima a rentabilidade foi de 30%. Resumindo: rendimento/rentabilidade é a remuneração que você ganhou no investimento ao longo do tempo em que deixou seu dinheiro aplicado.

Investimento mínimo

Toda aplicação possui um investimento mínimo. Como o próprio nome já diz, é a quantia mínima que você precisa ter para fazer uma aplicação. Se você tem R$ 500,00 para investir e encontrou uma aplicação com um rendimento suuuper alto, mas que o investimento mínimo é de R$ 1.000,00, não adianta! Você só vai conseguir aplicar nesse investimento se tiver o valor mínimo.

Só para te situar um pouquinho: existem investimentos que têm investimento mínimo de R$ 1,00 (alguns CDBs) e R$ 30,00 (Tesouro Direto), por outro lado, existem outros em que você só pode investir com R$ 150.000,00! Há para todos os bolsos =)

Prazo de vencimento

Não tem nada pior do que ser pego de surpresa. Imagina você aplicar o dinheiro em um fundo de investimento para fazer uma viagem dali a um ano e você descobre que só vai poder resgatar a quantia depois de cinco? Ferrou, né? Por isso você precisa ficar atento ao prazo de vencimento.

Esse termo significa quanto tempo o seu dinheiro precisa ficar investido rendendo até poder ser resgatado por você. Existem investimentos com prazos de vencimento para um mês e outros para 10 anos! Fique esperto e veja qual é o melhor para você.

Liquidez

Essa palavra está totalmente ligada ao item anterior. Liquidez é a disponibilidade ou possibilidade que você tem para resgatar o dinheiro investido. Na prática, isso significa se você pode pegar o dinheiro de volta a qualquer momento (liquidez diária) ou se vai ter que esperar o prazo de vencimento para fazer o resgate (liquidez no vencimento).

Essa informação é extremamente importante na hora de você escolher os melhores investimentos para a sua vida financeira. Para entender mais sobre isso, clique aqui. Dica: liquidez rima com rapidez, use essa analogia para lembrar do significado =)

Indexador

Os investimentos em renda fixa são divididos entre prefixados e pós-fixados. Lembra disso, né? Já vimos por aqui. Os pós-fixados são aqueles em que a rentabilidade só é definida no dia do resgate e está diretamente vinculada a um indexador, ou seja, você não sabe direito quanto vai ganhar até o prazo de vencimento. Isso acontece porque são esses indexadores que definem quanto você vai receber, ou seja, o investimento vai acompanhar a oscilação do indexador.

Sabe quando você entra no Yubb e aparece o seguinte: “CDB do Banco X que rende 110% do CDI”?. Esse “do CDI” é o indexador do investimento, é o que vai definir quanto você vai receber. No Brasil, os indexadores mais conhecidos são: CDI (Certificado de Depósito Interbancário), SELIC (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) e IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). Entender o que são os indexadores é essencial para conseguir definir o melhor investimento para você.

FGC

Sabe aquele medo de perder dinheiro? Você pode ser tranquilizado pelo FGC. O Fundo Garantidor de Créditos é uma entidade privada que garante o seu investimento. Sim, você leu certo! Existe uma instituição que vai devolver o seu dinheiro caso aconteça alguma coisa com o banco em que você investiu. Vale dizer que o FGC “só” garante R$ 250.000,00 (contando os rendimentos) por CPF e por instituição financeira. Ou seja, se você investiu em um banco algum valor abaixo disso e esse banco faliu, o FGC te paga e você não perde o seu dinheiro.

Para quem não quer arriscar e está começando a investir agora, vale procurar os investimentos que são garantidos pelo FGC (no Yubb, temos uma página só para isso!). Também não deixe de ver o vídeo incrível que fizemos sobre esse assunto.

Renda fixa e variável

Os investimentos financeiros são divididos em dois grandes grupos: renda fixa e renda variável. Assim como o nome já diz, o que difere um grupo do outro é a renda. No caso da renda fixa, não são os preços que são fixos, todo preço vai sofrendo oscilações, mas o que é fixo é a renda: é o que você combinou com o seu banco ou corretora logo no início da aplicação.

Por outro lado, na renda variável, a renda pode variar de acordo com diversos fatores e você não sabe quanto vai render (ou até mesmo se vai render alguma coisa!). Na prática, os investimentos em renda variável são muito mais arriscados do que os em renda fixa, mas, por outro lado, se você investir no lugar certo, pode ter um rendimento muito maior na renda variável.

Exemplos de investimentos em renda fixa: Tesouro Direto, RDB, LCI, CDB, LF e outros. Em renda variável: robôs de investimento, bitcoin, ações da bolsa de valores, etc.

Tesouro Direto

É um tipo de investimento em renda fixa. O Tesouro Direto é um programa de investimentos do Tesouro Nacional, ou seja, do governo federal. É o único investimento público no Brasil para pessoas físicas e se tornou muito comum nos últimos anos, já que é possível investir com apenas R$ 30,00 e possui uma boa rentabilidade. Mesmo não sendo garantido pelo FGC, é considerado muito seguro, já que quem é “o dono” é o governo.

Vale dizer que não dá para investir diretamente no Tesouro Direto, você precisa escolher uma corretora (Dica: escolha uma com taxa zero, ok?). Existem alguns tipos de Tesouro Direto: indexados ao IPCA, à SELIC ou prefixados, e os valores de compra e venda de títulos são alterados todos os dias. Para ver os títulos disponíveis no dia de hoje, clique aqui.

Fundos de investimento

Entre os termos de investimento aqui citados, esse é o mais complexo. Os fundos de investimento não são considerados nem renda fixa e nem renda variável, e não são garantidos pelo FGC. Os fundos não são um investimento em si: eles são um serviço. Isso significa que você não está investindo no fundo e sim nos ativos em que o fundo vai investir seu dinheiro.

Os fundos reúnem os recursos dos investidores para que, juntos, eles ganhem dinheiro. Dessa forma, você aplica uma quantia em um fundo e deixa que o gestor daquele fundo cuide do seu dinheiro para ter a maior rentabilidade possível — ou seja, você delega a um terceiro (no caso, um profissional do mercado) para que ele cuide do seu dinheiro para você.

Só para você saber um pouquinho mais sobre o assunto, existem fundos que só investem o dinheiro em ações, outros só em renda fixa e outros que investem em qualquer ativo (multimercado).

 

E aí, o que achou de conhecer esses termos de investimento? Tem mais alguma expressão que você ouviu, mas não sabe o que significa? Pergunte para a gente aqui nos comentários =)

O que é Índice de Basiléia?

0
O que é Índice de Basiléia?

Você teria coragem de investir em um banco que nunca ouviu falar? O risco do investimento é um ponto importante na hora da sua escolha? E se a gente te disser que existe um jeito muito simples de descobrir se aquele banco é seguro ou não e poder investir com mais tranquilidade? Conheça o Índice de Basiléia!

Muita gente pensa que, assim como tudo no mundo dos investimentos, Basiléia é um tema muito complexo e que só pode ser entendido por economistas. Mas isso não é verdade! Ele pode até ser difícil de ser calculado, mas entender o Índice de Basiléia é algo muito simples.

Ao fazer um investimento em renda fixa, você está emprestando dinheiro para os bancos. Por outro lado, o banco pega o seu dinheiro e empresta (com juros mais altos) para outras pessoas.  Basicamente, o risco do sistema bancário está aí. Como os prazos de empréstimos podem ser diferentes, o banco acaba correndo riscos. Se esses prazos não forem bem planejados, o banco pode quebrar.

O Índice de Basiléia serve para medir esse risco, ou seja, medir a saúde financeira do banco. Ele precisa estar, pelo menos, em 10,5% – quanto maior, melhor. Se estiver um pouco abaixo, significa que é um pouco mais arriscado investir naquele banco.

Na média, o Índice de Basiléia dos bancos brasileiros está em 17,4%, isso significa que o nosso sistema bancário é bem seguro e você pode investir sem medo. Para entender mais sobre isso, a gente esteve na B3 com o Prof. Arthur Vieira e você pode conferir o papo agora!

E aí, o que achou do vídeo de hoje? Não esqueça de se inscrever no canal, deixar um like e, é claro, compartilhar esse vídeo com os seus amigos!

 

Entendeu o que é Índice de Basiléia? Se tiver mais alguma dúvida, deixa para a gente aqui nos comentários.

O que é IPO e como ele funciona

0
O que é IPO?

Você conhece a sigla IPO? Sabe o que é IPO? Se você está antenado no mundo dos investimentos, com certeza já ouviu falar. Se você está começando a investir agora, provavelmente não tem ideia do que signifique. Em ambos os casos, este post é para você! Chegou a hora de entender, de uma vez por todas, o que é IPO.

Na trajetória de uma empresa, ela pode aumentar o seu capital de diversas formas:

  • Por meio da sociedade com um parceiro estratégico;
  • Via empréstimos bancários;
  • Emissão de títulos de valores mobiliários (como ações e debêntures) no mercado de capitais.

No entanto, nem sempre é fácil aumentar o capital dessas formas. Então, em alguns casos, empresários decidem abrir para mais sócios. Isso significa que, já que não existe uma pessoa só com todo o dinheiro necessário, os investidores interessados se tornam donos de uma pequena parcela do negócio

Vale a pena comprar na Black Friday?

0
Dá pra investir na Black Friday?

Final de novembro, o assunto é só um: Black Friday. Aquele monte de propaganda na televisão, lojas repletas de faixas anunciando os descontos e os consumidores fazendo a listinha de compras que pretendem realizar.

Muita gente fala que, aqui no Brasil, não é Black Friday e sim Black Fraude. Já ouviu falar que algumas lojas aumentam o preço no começo do mês só para diminuir no final e fingir um desconto? Sim, isso pode acontecer!

O Yubb esteve nas ruas de São Paulo perguntando para as pessoas o que elas pretendem comprar nessa Black Friday. E, o mais importante, perguntando se alguém já pensou em aplicar o dinheiro nessa data. Adivinha? Ninguém nunca pensou nisso.

Você sabia que muitas corretoras, bancos e outras instituições financeiras fazem promoções para que você tenha uma rentabilidade maior? Ou seja, ao invés de gastar, você vai ganhar dinheiro na Black Friday. Quer coisa melhor?

Liquidez diária ou no vencimento? Entenda

1
Liquidez diária ou no vencimento?

No cenário ideal, é necessário que você sempre tenha uma reserva de emergência em sua conta antes de investir. Mas nem sempre isso é possível, né? Então, muitas pessoas deixam de investir com a desculpa de “Não posso abrir mão desse dinheiro! E se eu precisar dele?”. O que é realmente algo a ser considerado, com certeza. Mas você sabe que existem investimentos em que você pode pegar seu dinheiro a qualquer momento, sempre que quiser? O nome disso é liquidez diária.

Sim, você pode deixar seu dinheiro em alguns investimentos e “pegar ele de volta” a qualquer momento. Quando isso é permitido em um investimento, significa que uma das características daquele investimento é a liquidez diária. Por outro lado, existem algumas aplicações em que o dinheiro fica “preso” e você só consegue retirar no dia de resgate combinado – são aqueles com liquidez no vencimento.

O que é GuiaBolso?

0
O que é GuiaBolso?

Você cuida da sua vida financeira? Anota seus gastos? Sabe para onde está indo seu dinheiro? Não? Pois é, você não está sozinho. Muitos brasileiros não possuem esse costume e é para isso que serve o GuiaBolso: organizar as suas finanças de uma forma simples e moderna.

O GuiaBolso é uma plataforma totalmente online que tem a função de cuidar da sua vida financeira. Eles fazem isso por meio de um sistema automático que consegue capturar as suas receitas e despesas dos últimos meses, criando um lugar onde você consegue visualizar para onde o seu dinheiro está indo.

O maior diferencial da ferramenta é que ela é totalmente automática. Chega daquelas planilhas de excel que você precisa ficar digitando quantia por quantia! E, por outro lado, eles também oferecem crédito pessoal por uma taxa mais baixa.

Os benefícios são comprovados: os usuários do GuiaBolso passam a economizar R$ 470,00 a mais por mês depois de visualizar os próprios gastos!

Como perder o medo de investir?

0
Como perder o medo de investir

Você já sabe que deixar o dinheiro parado na conta corrente é furada e que poupança também é um péssimo caminho. A vontade de aplicar e ver o valor crescer é enooorme, mas a insegurança é maior ainda. E aí, como perder o medo de investir?

Tawan Tayron tem 23 anos e já passou por isso. Desde a adolescência, ia colocando o que sobrava de sua renda na conta poupança até que, em 2016, viu uma notícia na televisão que dizia que deixar o dinheiro na poupança era sinônimo de perder dinheiro. Se você não sabe do que eu estou falando, clique aqui para entender como a inflação “come” o seu dinheiro na poupança.

Mesmo com medo de investir, Tawan colocou a mão na massa e foi pesquisar como começar. Em junho de 2017, quando ele já tinha uma certa experiência em investimentos, decidiu criar um canal no YouTube: assim nascia o Investidor Leigo.

Por que é tão baixo o número de mulheres investidoras?

0
Por que existem poucas mulheres investidoras?

Você sabia que, entre todas as pessoas que realizam investimentos no Brasil, só 25% são mulheres? Sim, você leu certo: 75% são homens! Mas por que o número de mulheres investidoras é tão baixo?

No país, não existe a cultura de a mulher cuidar do seu dinheiro, muito menos de investir. Existem diversas questões históricas que explicam esse fato e até mesmo questões estruturais em nossa sociedade. Só faz 50 anos que a mulher ganha o seu próprio dinheiro e, mesmo atualmente, ela ganha 28% a menos que o homem (desempenhando as mesmas funções!).

Com pouco conhecimento, menos tempo e dinheiro que o homem e uma história cheia de desigualdade, fica difícil para elas se sentirem à vontade no mundo dos investimentos e se tornarem mulheres investidoras.

6 investimentos em renda fixa para você conhecer

0
Investimentos em renda fixa - Capa para posts

“CDB, RDB, LC… Que raios é esse monte de letra?” A gente tem certeza que você já teve esse pensamento quando ouviu um economista falar na televisão ou até mesmo o seu gerente do banco sobre os investimentos em renda fixa. Muita gente pensa que o essencial é que o investimento seja bom e fim. Pra que conhecer todos eles, certo?

Errado! É sempre bacana saber onde você está investindo o seu dinheiro e entender um pouco mais sobre finanças. As aplicações podem ser divididas entre renda fixa e variável e, dentro de renda fixa, está esse monte de letrinhas que a gente falou aí em cima.

Os investimentos em renda fixa podem ser divididos entre públicos e privados. Vale saber que os públicos são os títulos do Tesouro Direto, mas isso é tópico para outro post. Hoje a gente vai falar sobre os privados – que são aquelas letrinhas que vivem aparecendo no Yubb e você talvez não saiba o que é — agora vai descobrir de uma vez por todas!

Quem é a corretora Socopa?

0
Você conhece a Socopa?

Uma das corretoras mais tradicionais do Brasil é a Socopa. Já ouviu falar? Há 50 anos no mercado, a Socopa está ligada ao Banco Paulista, mas é completamente independente e possui uma grande variedade de produtos em investimentos.

Por mais que seja conhecida por suas aplicações em ações, também oferece ao investidor fundos de investimento e investimentos em renda fixa como CDB, LCI, LCA e outros.

Para abrir uma conta, o processo é todo online e, para aqueles que tem medo de investir em corretoras que não conhece, fique tranquilo que a Socopa é segura. Além de ter 50 anos no mercado e a experiência dos profissionais, as transações só podem ser feitas diretamente da sua conta para a corretora, assim como os “saques”.