Inicio Blog Página 3

Quer viver de renda? Confira investimentos com rendimento mensal

0
investimento com renda mensal

Aqui no Yubb, sempre recebo perguntas sobre aplicações que rendem mensalmente. Muitos investidores têm interesse em investimentos com rendimento mensal para realizar um sonho: viver apenas de renda.

Viver de renda não é um processo simples, mas também não é impossível. É necessário planejamento para acumular patrimônio durante toda a vida e, quando você chegar no capital esperado, o rendimento mensal será suficiente para pagar o seu custo de vida.

Parece um sonho distante, mas não é. Além de todo o percurso que é necessário trilhar para viver de renda no futuro, também é possível encontrar alguns investimentos com rendimento mensal para o presente.

Sim, existem algumas aplicações que te “pagam” mensalmente e pode ser uma boa opção para você investir o dinheiro. Dessa forma, você pode reinvestir o rendimento mensal em outra aplicação e criar um ciclo de ganhos.

No post de hoje, separei cinco investimentos com rendimento mensal para você viver de renda no futuro e/ou aplicar seu dinheiro hoje e ter lucros mensais. Vai ficar de fora? Dá uma olhada:

os melhores investimentos com rendimento mensal

1. TÍtulos do Tesouro Direto

Se você conhece os títulos públicos do Tesouro Direto, provavelmente está se perguntando “O que isso tem a ver com rendimento mensal?”. Mas calma! Vou te explicar porque os títulos públicos estão na minha lista.

O Tesouro Direto é o programa de investimentos do Tesouro Nacional. Os títulos são emitidos pelo governo federal, ou seja, são os produtos mais seguros do Brasil. O Tesouro Direto oferece três tipos de títulos: Tesouro IPCA, Tesouro Prefixado e Tesouro SELIC.

O Tesouro IPCA e o Tesouro Prefixado oferecem, além da modalidade comum, uma modalidade com juros semestrais. Isso significa que, de seis em seis meses, você recebe o rendimento do seu investimento.

“Mas semestralmente não é mensalmente!”. Sim, você está certo. No entanto, é possível fazer uma combinação de títulos para receber rendimentos praticamente todos os meses.

O Tesouro IPCA 2050, por exemplo, paga seus rendimentos em fevereiro e agosto. O Tesouro IPCA 2035, em maio e novembro e o Tesouro Prefixado em janeiro e julho.

Isso significa que, se você investir nesses três títulos e fizer uma combinação, terá rendimentos mensais vindos do seu investimento no Tesouro Direto.

2. Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um títulos emitido por bancos em que você pode investir diretamente nos bancos ou pela sua corretora de investimentos.

O CDB é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) em investimentos de até R$ 250 mil por grupo financeiro e R$ 1 milhão por CPF. E, a melhor parte, é a possibilidade de investir com pouco dinheiro.

Na maioria dos CDBs, só é possível resgatar o rendimento no final do período, junto com o montante aplicado. No entanto, nos últimos meses, surgiu uma nova modalidade no mercado que é o CDB mensal.

Nesse produto, é possível resgatar o rendimento todos os meses e o valor aplicado segue no investimento. Normalmente, esses CDBs mensais pagam 1% ao mês. Interessante, né?

A notícia ruim é que não é muito comum encontrar esse tipo de CDB. O Yubb fez um vídeo sobre os bancos que oferecem CDBs mensais, mas muitos deles já não existem no mercado.

Se você gostou desse tipo de investimento, a dica é buscar os bancos que ainda o oferecem e ficar de olho no mercado para aproveitar as próximas oportunidades.

3. Fundos de investimento

Os fundos de investimento não são renda variável e muito menos renda fixa – eles são um grupo à parte no mundo dos investimentos.

Ao investir em um fundo, o investidor (cotista) deixa o dinheiro na mão do gestor do fundo e é ele quem vai aplicar em diferentes ativos com o objetivo de encontrar as melhores rentabilidades.

Existem fundos de renda fixa, que investem apenas em títulos de renda fixa, fundos de ações, fundos de inflação, fundos multimercado, que investem em todos os tipos de ativos, e muitos outros.

Se você está buscando investimentos com rendimento mensal, não deixe de pensar nos fundos. É uma opção pouco óbvia e menos conhecida, mas existem muitos fundos com liquidez diária (possibilidade de resgate a qualquer momento) ou fundos de curto prazo.

Nesse caso, você pode investir o seu dinheiro em um fundo que permita resgates e, todos os meses, transfira uma parte do rendimento para a sua conta. Escolha o fundo certo e essa pode ser uma boa estratégia para você viver de renda.

4. Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários (FIIs) são mais conhecidos quando o assunto é rendimento mensal. O investidor compra cotas do fundo e gestor do fundo pega o dinheiro dos cotistas e aloca em diferentes investimentos imobiliários.

O dinheiro vai para como apartamentos, shoppings, escritórios e até mesmo títulos de renda fixa como CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e LCIs (Letras de Crédito Imobiliário).

Isso significa que, ao invés comprar diretamente um imóvel que custa milhões de reais, você compra uma cota de um fundo que vai investir em diferentes imóveis por valores de a partir de R$ 100,00.

E onde está o rendimento mensal nisso tudo? É muito simples! A remuneração do cotista vem dos valores cobrados dos aluguéis dos empreendimentos. Como o aluguel é pago mensalmente, você receberá o rendimento daquele fundo imobiliário todos os meses.

Mas, fique atento! Os fundos imobiliários são negociados na bolsa de valores e são mais arriscados do que os fundos de investimento “convencionais”. Veja se é uma boa opção para o seu perfil de investidor antes de aplicar 😉

5. Ações com dividendos

Entre os investimentos mais arriscados, as ações são as mais conhecidas. Ação é um título que representa uma pequena parte de uma sociedade de capital aberto (também chamada de sociedade anônima).

Quando você compra uma ação de uma empresa – negociação que é feita na bolsa de valores – você passa a ser sócio e participar dos lucros da empresa. Se a instituição tiver bons resultados, o seu dinheiro investido passa a “valer mais” e você recebe dividendos.

No caso de ações, o rendimento mensal está nos dividendos. Os dividendos são partes do lucro da que são compartilhados entre os acionistas. Esse pagamento pode ser feito mensalmente, trimestralmente, semestralmente e até mesmo anualmente.

Se você busca investimentos com rendimento mensal, procure empresas da bolsa de valores que paguem bons dividendos mensais. Dessa forma, todos os meses você terá uma renda proveniente das suas ações.

Gostou de conhecer esses investimentos com rendimento mensal? Está pensando em viver de renda? Deixe seu comentário aqui embaixo 😉

Pi Investimentos: como abrir conta e começar a investir

0
abrir conta na Pi Investimentos

Com a facilidade da internet, algumas instituições novas estão surgindo no mercado. É o caso da Pi Investimentos: plataforma digital do Santander que foi lançada no início de 2019.

Diferente da plataforma de outros bancos, as operações da Pi não tem ligação com a Santander Corretora e pode ser acessada diretamente por pessoas que não são correntistas do banco.

A ideia da empresa é criar uma plataforma independente e com fácil acesso: é possível investir com a partir de R$ 50,00 e, em alguns fundos, também é possível fazer resgates mensais dos rendimentos.

Mas, por ser desvinculada do Santander, como funciona o processo de abertura de conta na Pi Investimentos? Será que muitos documentos são necessários? Tudo é feito pelo celular ou não? A plataforma é fácil de ser acessada?

O Yubb também tinha essas perguntas na cabeça e fomos buscar as respostas. Adivinha? Fizemos todo o processo de abertura de conta e gravamos para você! Pi Investimentos está no #YubbResenha de hoje. Vem ver:

Curtiu o vídeo? Então inscreva-se no canal do Yubb no YouTube e ative as notificações para não perder todas as novidades.

E, é claro, deixe a sua avaliação sobre a Pi (ou qualquer outra empresa em que você investe) no Guia das Melhores Empresas de Investimento para ajudar outros investidores.


Achou complicado o processo de abertura de conta da Pi Investimentos? Deixe a sua opinião aqui embaixo nos comentários! 😉

CDB Necton: 10% ao ano ou 120% do CDI?

0
CDB Necton
CDB Necton

Muitos investidores ficam em dúvida sobre qual investimento deve fazer: prefixado ou pós-fixado. E se a gente te mostrar um CDB com as duas opções? Conheça o CDB Necton.

A Necton é uma corretora nova no mercado. A empresa está trabalhando com um produto de emissão bancária, ou seja, de renda fixa privada que é o Certificado de Depósito Bancário, conhecido como CDB.

Esse produto é emitido pelo Banco Renner e distribuído pela Necton. O valor mínimo é de R$ 5.000,00 e o prazo de vencimento é de 5 anos. Mas o diferencial é a remuneração: existem dois tipos que o investidor pode escolher.

A primeira é a rentabilidade pós-fixada, a mais tradicional e mais comum no mercado. A rentabilidade do investimento está indexada ao CDI e o seu dinheiro vai acompanhar o valor desse indicador ao longo dos anos. Nesse caso, o CDB Necton rende 120% do CDI.

Por outro lado, existe a rentabilidade prefixada. Independente do que acontecer com o mercado e com a política, a taxa é a mesma. No CDB Necton, a rentabilidade é de 10% ao ano.

O fato de o investidor poder escolher qual tipo de rentabilidade ele quer pode ser uma ótima opção para diversificação de carteira. Dessa forma, é possível ter um portfólio diversificado com pós-fixado e prefixado.

Ficou interessado nesse tipo de investimento? O Yubb esteve com Rafael Giovani, diretor de distribuição da Necton, para entender mais como funciona esse novo investimento. Dá o PLAY e descubra:

Gostou do vídeo? Esperamos que sim! Inscreva-se no canal do Yubb e ative as notificações para não perder as novidades.


Curtiu o CDB Necton? Prefere o prefixado ou o pós-fixado? Se tiver alguma dúvida ou quiser fazer um comentário, deixa aqui embaixo! 😉

4 investimentos com liquidez diária para a sua reserva de emergência

0

Para grande parte dos brasileiros, a poupança é o melhor lugar para deixar a reserva financeira. Afinal, se surgir uma emergência, nada mais fácil do que transferir essa quantia para a sua conta corrente, certo? Errado! Existem outros investimentos com liquidez diária que rendem muito mais.

Diferente do que a maioria pensa, a poupança não é o melhor destino para o seu dinheiro. Essa possibilidade de resgate do valor a qualquer momento é uma vantagem, mas existem outras aplicações que possuem essa característica.

Liquidez é a possibilidade de resgatar o recurso: quanto tempo demora para esse investimento “se transformar” em dinheiro na sua conta corrente? Se você busca uma opção para deixar o dinheiro da sua reserva de emergência, precisa buscar investimentos com liquidez diária.

Dessa forma, se surgir um imprevisto e você precisar do dinheiro antes do prazo final, basta contatar a instituição financeira e fazer o resgate do seu investimento.

Muitas pessoas conhecem essa característica da poupança, mas não conhecem outros investimentos que possuem a mesma segurança, mas com maior rentabilidade.

No post de hoje, vou te mostrar quatro investimentos com liquidez diária (o #4 vai ser uma surpresa para você!) que são indicados para a sua reserva de emergência. Vem comigo!

investimentos com liquidez diária

1. Tesouro SELIC

Você conhece o Tesouro Direto? É o programa de investimentos do Tesouro Nacional. Por serem do próprio governo federal, são os títulos mais seguros do país. E segurança é algo muito importante para a sua reserva financeira, né?

O Tesouro Direto oferece diferentes títulos: Tesouro IPCA, Tesouro Prefixado e Tesouro SELIC. Para o caso de quem busca liquidez diária, a melhor opção é o SELIC.

No Tesouro SELIC, se você quiser resgatar o seu investimento antes do prazo final de vencimento, não há nenhum problema. Basta solicitar o resgate e, em um dia útil, o dinheiro estará na sua conta.

Como o nome já diz, o rendimento desse título acompanha a taxa SELIC, a taxa básica de juros. O seu investimento estará rendendo a variação da SELIC no período, independente do resgate antecipado ou não.

O Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado também permitem resgates antecipados, mas tenha cuidado! Existe uma “pegadinha” na liquidez: os títulos são vendidos pelo preço de mercado no dia da venda e não pela taxa estipulada no início, ou seja, você pode perder dinheiro.

2. CDB com liquidez diária

CDB significa Certificado de Depósito Bancário e é um título de renda fixa privada. É um produto emitido por bancos e que pode ser distribuído pelos próprios bancos ou pelas corretoras de valores.

A melhor parte do CDB é que é possível investir a partir de R$ 1,00 (sim, UM REAL!). No caso da reserva de emergência, busque CDBs com liquidez diária. Fique atento: não são todos os CDBs que possuem essa característica, é preciso encontrar bancos que os ofereçam.

A segurança está na mão do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Se você investir até R$ 250 mil por grupo financeiro e R$ 1 milhão por CPF, seu dinheiro está seguro. Caso algo aconteça com a instituição financeira, você recebe seu dinheiro de volta.

Normalmente, você consegue encontrar CDBs com liquidez diária que rendem mais de 100% do CDI (em bancos médios e pequenos). Isso significa que é uma ótima rentabilidade para a sua reserva.

3. Fundos de renda fixa

Se você não conhece, os fundos de investimento são um serviço – não são diretamente um produto. Você, investidor, deixa o dinheiro com o fundo e o gestor daquele fundo vai investir o seu patrimônio em diferentes ativos.

Para não arriscar seu patrimônio, opte pelos fundos DI ou pelos fundos de renda fixa. Neles, o gestor aplica em ativos conservadores e a sua reserva estará mais seguro.

Não são todos os fundos que oferecem liquidez diária, por isso é importante se atentar à política do fundo para não ter nenhuma surpresa no futuro. E cuidado com taxas abusivas! Em fundos DI e renda fixa, não aceite taxas de administração acima de 0,5%.

#FicaDica: existem alguns fundos (BTG e Órama oferecem, por exemplo) que investem diretamente no Tesouro SELIC e não cobram nenhuma taxa por isso. Vale mais a pena investir por esses fundos do que diretamente no Tesouro Direto por uma corretora.

4. Robôs de investimento

Eu disse que o #4 ia te chocar! Já ouviu falar nos robôs de investimento? Calma, não é nenhuma máquina cuidando do seu dinheiro! É uma empresa (fintech) especializada em gerenciamento de carteiras de investimento.

De acordo com o seu perfil e objetivo, o robô cria uma carteira personalizada para você. Tudo é feito de forma automatizada e, por isso, sempre segue na busca da melhor rentabilidade para a sua carteira. É como se fosse um fundo de investimento mais tecnológico. 😉

No Brasil, os principais robôs são as empresas Magnetis, Monetus, Vérios e Warren. Cada um possui a sua estratégia, mas, se você busca liquidez diária, vai ser indicado para os portfólios mais conservadores dos robôs.

O seu dinheiro pode ser alocado em títulos do Tesouro Direto, produtos bancários de renda fixa privada e até mesmo em ações.

O importante é preencher o questionário de perfil e objetivo deixando claro que você pode precisar daquele valor a qualquer momento. Dessa forma, o robô vai alocar o seu dinheiro em ativos que podem ser resgatados antecipadamente.

Está montando a sua reserva de emergência? Já conhecia esses investimentos com liquidez diária? Conte a sua história aqui embaixo 😉


Bolsa de valores 2019: qual é a expectativa para o ano?

0
qual é a expectativa para bolsa de valores 2019

2019 veio com uma grande aposta no mercado financeiro. Com um novo governo e perspectiva de manutenção das taxas de juros, os especialistas viam um grande potencial no mercado da renda variável. Mas como está a bolsa de valores 2019?

Com o fim do primeiro trimestre, alguns especialistas fizeram suas análises sobre os 100 dias de governo Bolsonaro. Os primeiros 30 dias chegaram com tudo e a bolsa de valores teve uma grande alta. Nos outros 70 dias, o cenário foi mais incerto e a bolsa performou entre leves altas e leves baixas.

O tema ainda mais comentado é a reforma da previdência. Por mais que alguns representantes digam que há a possibilidade de implantação da reforma no primeiro semestre, a maioria dos especialistas acredita que a reforma fica para o terceiro trimestre.

Mesmo com o otimismo no começo do ano, o governo protagonizou algumas incertezas como as discussões entre Rodrigo Maia e Bolsonaro, troca de farpas nas redes sociais e, principalmente a intervenção no preço do diesel.

No livre mercado, intervenção do governo não é algo bem visto pelos investidores. E, quando os investidores estão inseguros, isso traz uma maior volatilidade para a bolsa de valores.

Quer saber mais? O Yubb esteve com Roberto Indech, analista chefe da Rico Investimentos, e ele fez uma análise completa sobre as projeções para bolsa de valores 2019. Confira:

Gostou do conteúdo? Se gostou, inscreva-se no canal do Yubb no YouTube e ative as notificações para não perder as novidades!


Entendeu qual é a expectativa dos especialistas para bolsa de valores 2019? Se tiver qualquer dúvida, deixe aqui embaixo! 😉

Como não perder dinheiro na bolsa de valores

0
como não perder dinheiro na bolsa de valores

Ao entrar no mundo da renda variável, muitos investidores buscam ganhar dinheiro rápido. Mas, infelizmente, não existe dinheiro fácil e o mercado de ações é arriscado. Quer saber como não perder dinheiro na bolsa de valores? Confira.

O primeiro passo é entender que o caminho mais tranquilo para investir em ações é o de longo prazo. Para quem busca investimentos de curto prazo, o mercado de ações talvez não seja a melhor opção já que acontecem muitas oscilações e há mais risco de perder dinheiro.

Uma outra dica é saber que é impossível saber o momento exato de comprar ações. Muitas pessoas querem ficar analisando quando os preços estão subindo ou estão caindo e esquecem de criar uma recorrência de compra.

O importante é comprar ações todos os meses, criar o hábito de investir e acumular patrimônio. Quando você compra todos os meses, você cria um preço médio e não depende tanto dos valores unitários de compra e venda.

Com uma recorrência, você pode viver de dividendos no futuro. Diferente do que a maioria pensa, “futuro” não significa 6 meses e sim de 10 a 15 anos. Como é um investimento para longo prazo, o essencial é planejamento para fazer aplicações de sucesso.

O Yubb esteve com a Beatriz Aguillar, a famosa Bea do canal Papo de Bolsa, para falar sobre o assunto e dar muitas dicas sobre como não perder dinheiro na bolsa de valores. Dá o PLAY:

Você curtiu o vídeo? Inscreva-se no canal do Yubb no YouTube e ative as notificações para não perder as novidades!


Gostou das dicas da Bea sobre como não perder dinheiro na bolsa de valores? Se tiver alguma dúvida ou comentário, deixe aqui embaixo 😉

Investimentos a partir de 50 reais para você sair da poupança

0
investimentos a partir de 50 reais

Que atire a primeira pedra quem nunca pensou que investimento era coisa de milionário. Mas a verdade sempre chega e descobrimos que dá para investir com pouco dinheiro. Confira os melhores investimentos a partir de 50 reais para você sair da poupança e começar a ganhar mais.

Tirar o dinheiro da poupança e começar a investir é muito mais fácil do que você imagina. No post de hoje, vou te mostrar três investimentos rentáveis e seguros para você entender como eles funcionam e aplicar o seu dinheiro. Vem comigo ver três investimentos a partir de 50 reais:

1. Tesouro Direto

Se você não conhece, o Tesouro Direto é um programa de investimentos do Tesouro Nacional, ou seja, do governo federal. Não existe apenas um título do Tesouro Direto, existem cinco:

  • Tesouro IPCA;
  • Tesouro IPCA com juros semestrais;
  • Tesouro Prefixado;
  • Tesouro Prefixado com juros semestrais;
  • Tesouro SELIC.

Cada título possui o seu próprio valor mínimo e você consegue investir R$ 50,00 em Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado (com ou sem juros semestrais). No Tesouro SELIC, normalmente só é possível investir a partir de R$ 100,00. Mas vale lembrar que os preços oscilam diariamente, portanto, não é uma regra.

Conheça os títulos:

  • Tesouro IPCA: a rentabilidade está indexada ao IPCA, ou seja, à inflação do Brasil. Você vai receber a taxa predefinida + a variação do IPCA no período. Também existe a opção com juros semestrais – em que você pode receber o rendimento de seis em seis meses.
  • Tesouro Prefixado: a rentabilidade é uma taxa predefinida e não depende de nenhum fator externo (é escrita como X% ao ano). Assim como o IPCA, também existe a opção com juros semestrais – em que você pode receber o rendimento de seis em seis meses.

Antes de investir em um título do Tesouro Direto, fique atento aos prazos de vencimento. Se o nome do título é Tesouro IPCA+ 2024, por exemplo, significa que o prazo final é 2024.

Como existe uma variação diária no preço dos títulos, você pode acabar perdendo dinheiro se resgatar o dinheiro antes do prazo. O Tesouro SELIC é o único título em que você não corre esse risco, mas, o investimento mínimo é maior que R$ 50,00.

No caso do Tesouro IPCA e do Tesouro Prefixado, há a possibilidade de perder dinheiro dependendo do dia em que você vender o título. Por isso, #ficaadica: só invista nesses títulos se puder manter o dinheiro investido até o prazo final.

2. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é o título que possui o menor valor mínimo no mundo dos investimentos. Existem alguns CDBs no mercado em que é possível investir a partir de R$ 1,00 (sim, UM REAL!) então pode ser um ótimo destino para o seus R$ 50,00.

Ele é um investimento de renda fixa privada, ou seja, é um empréstimo que o investidor faz para a instituição financeira. Quando você compra um CDB, você está emprestando o seu dinheiro para a instituição e, em troca, ela te dá uma remuneração – que é o rendimento do investimento.

O CDB é um investimento muito comum de ser encontrado já que é uma forma fácil de os bancos captarem recursos para si mesmos. Por outro lado, os investidores também gostam desse tipo de aplicação por ser uma opção muito versátil.

Veja algumas características:

  • Emissão: o CDB é emitido por bancos;
  • Distribuição: pode ser encontrado diretamente nos bancos ou em corretoras de valores;
  • Garantia: é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até R$ 250 mil por grupo financeiro e R$ 1 milhão por CPF. Isso significa que, se algo acontecer com o banco que emitiu o investimento, você terá seu dinheiro de volta se estiver dentro desses valores.
  • Liquidez: o CDB pode ter liquidez diária (possibilidade de resgate a qualquer momento) ou liquidez no vencimento (dinheiro “preso” até o final do prazo). Basta escolher qual é a melhor característica antes de investir.
  • Tributação: há a incidência de Imposto de Renda (IR) no rendimento dos CDBs. O valor é descontado diretamente no resgate e o valor da alíquota vai depender da tabela regressiva – quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menor é a cobrança.
  • Pré ou pós-fixado: os CDBs podem ser prefixados ou pós-fixados;
  • Indexador: se for pós-fixado, o indexador mais comum é o CDI, mas também há CDBs indexados ao IPCA e outros indicadores.

3. LCI/LCA

LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) são investimentos que, normalmente, caminham juntos. Como são muito parecidos, vamos falar dos dois títulos no mesmo tópico.

É comum encontrar LCIs e LCAs com valor mínimo de R$ 100,00 ou R$ 1.000,00. Mas, sim, é possível encontrar opções a partir de R$ 50,00 para você aplicar o seu dinheiro.

Assim como o CDB, esses investimentos fazem parte do grupo de renda fixa privada. Isso significa que o investidor “empresta” o dinheiro para o banco e, em troca, recebe o rendimento dos investimentos.

A diferença entre LCI e LCA é muito sutil. Quando o banco recebe o dinheiro investido em uma LCI, ele obrigatoriamente precisa usar aquela quantia para financiar um projeto imobiliário. Enquanto, em uma LCA, o banco precisa usar o dinheiro para financiar um projeto do setor do agronegócio. É uma diferença que não influencia diretamente na sua escolha como investidor. 😉

Confira as características das LCIs e LCAs:

  • Emissão: as LCIs e LCAs são emitidas por bancos;
  • Distribuição: podem ser encontradas diretamente nos bancos ou em corretoras de valores;
  • Garantia: se algo acontecer com a instituição financeira, seu dinheiro está garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até R$ 250 mil por grupo financeiro e R$ 1 milhão por CPF. Ou seja, muita segurança para o seu investimento.
  • Liquidez: o prazo de vencimento mínimo das LCIs e LCAs é três meses, ou seja, não há investimentos com liquidez diária;
  • Tributação: essa é a característica mais amada das LCIs e LCAs – elas são isentas da cobrança de Imposto de Renda. A rentabilidade bruta é igual a rentabilidade líquida e o investidor não sofre nenhuma cobrança no resgate do investimento.
  • Pré ou pós-fixado: podem ser prefixadas ou pós-fixadas;
  • Indexador: no caso de LCI/LCA pós-fixada, o indexador mais comum é o CDI, mas também há a possibilidade de ser indexada ao IPCA ou outros indicadores.

Gostou de conhecer os investimentos a partir de 50 reais que você pode realizar? Já fez algumas dessas aplicações ou pretende fazer? Deixe um comentário aqui embaixo!

Home broker Clear: será que vale a pena comprar ações pela plataforma?

0
home broker Clear

Para comprar ativos negociados na Bolsa de Valores, é necessário usar o home broker de uma corretora. Na hora de realizar as negociações, a maioria das corretoras cobra taxas – mas nem todas. A Clear Corretora, por exemplo, não cobra taxas. Entenda como usar o home broker Clear.

No mundo dos investimentos, o nome XP Investimentos é muito conhecido. Em 2014, a XP comprou uma corretora de valores com objetivo de ter uma atuação mais forte na área de traders. Essa corretora é a Clear.

Como já dissemos, as corretoras ganham dinheiro por meio das taxas cobradas nas negociações em renda variável – ações, fundos imobiliários, ETFs e etc. No entanto, algumas instituições zeraram a taxa com o objetivo de captar mais clientes.

Para usar a plataforma da Clear e comprar os ativos negociados na Bolsa de Valores não é cobrada nenhuma taxa. É uma das únicas corretoras que não cobra taxa de corretagem para renda variável. Muito interessante, né?

Já fizemos um vídeo abrindo conta na Clear (clique aqui e assista), mas agora é a hora de analisar o home broker Clear. Fizemos diversos investimentos para te mostrar o funcionamento da plataforma. Dá uma olhada:

O que achou do vídeo? Então inscreva-se no canal do Yubb no YouTube e ative as notificações para não perder as novidades!


Você já usou o home broker Clear? Ou está pensando em usar? Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário 😉

Estratégias de renda variável: como potencializar seus resultados

0
estratégias de renda variável

O país atravessa um momento de baixa nas taxas de juros, com isso, os resultados da renda fixa acabam sendo afetados. Em busca de rendimentos maiores, muitos investidores estão migrando para os investimentos em renda variável. Mas quais são as melhores estratégias de renda variável?

Com uma gama de oportunidades diferentes e bom potencial de retorno, a renda variável, mais precisamente as ações da bolsa de valores, está sob os olhos do mercado. A chance de investimento no curto, médio ou longo prazo e as possibilidades de bons retornos, abrem portas para diferentes tipos de investidores e também para diferentes objetivos.

Contudo, essa modalidade pode apresentar alguns desafios, principalmente para investidores que antes estavam acostumados a investir apenas em renda fixa. Para tornar o mercado de ações um terreno mais seguro, o investidor pode apostar em algumas estratégias. Nesse post, você vai conhecer algumas dessas estratégias de renda variável.

Conheça a empresa

Antes de falarmos em qualquer estratégia, vale ressaltar a importância de se conhecer a empresa em que você vai investir. É preciso estar ciente do tipo de instituição, os mercados que ela atua e a quais riscos ela está exposta. Com isso, você poderá alinhar seus objetivos ao seu investimento.

A partir disso, podemos falar sobre as estratégias para investir em renda variável.

Buy and Hold

O Buy and Hold é uma estratégia de investimento focada no longo prazo. Você compra um ativo e fica com ele por um espaço de tempo mais longo (por muitos anos ou até mesmo décadas). Porém, não faz parte da estratégia manter a posse do ativo caso a instituição não mantenha a qualidade operacional que a fez ser escolhida no momento de compra. Caso isso aconteça, se desfazer do papel pode ser uma boa saída.

Para buscar mais segurança e melhores resultados, o investidor geralmente compra papéis de empresas de grande porte e que podem oferecer solidez e possuem chances de gerar de bons resultados.

Apesar de seu potencial, certos investidores não são adeptos à estratégia de Buy and Hold por conta dos ciclos que o mercado atravessa de tempos em tempos.

Navegar entre as altas e baixas do mercado não é algo natural para todos. É preciso conseguir manter o controle emocional para conseguir aplicar essa estratégia em busca de bons resultados.

Value Investing 

É uma estratégia de avaliação que segue princípios da análise fundamentalista e compara com o valor de mercado. O objetivo, neste caso, é buscar empresas subavaliadas, ao contrário do que acontece na estratégia de Buy and Hold. Essas empresas, estão por algum motivo, sendo negociadas abaixo do seu valor real. O papel não necessariamente será negociado no longo prazo, mas até o momento em que o investidor acredita ser o melhor para realizar seus lucros.

Dividendos

Outra estratégia é o foco em investir em empresas que distribuem altos dividendos. Neste caso, o investidor busca sempre investir em empresas que pagam mais dividendos.

Há uma lei no Brasil que diz que as empresas devem distribuir aos seus acionistas ao menos 25% de seu lucro. Contudo, é possível encontrar empresas que superam esse percentual e pagam maiores dividendos aos seus acionistas.

Para quem não está familiarizado com o termo, dividendos são parcelas do lucro apurado de uma sociedade anônima distribuídos aos acionistas. Essa remuneração pode ser distribuída de formas diferentes, dependendo da empresa. O investidor pode receber os dividendos e maneira anual, semestral, trimestral ou até mesmo mensal. O valor pago é proporcional à quantidade de ações que o investidor possui.

Vantagens de investir em renda variável

Se você está começando a sua jornada em renda variável e ainda quer saber se investir nessa modalidade vale a pena, separamos para você algumas vantagens. Confira:

Diversificação

A diversificação segue a máxima de não colocar todos os ovos na mesma cesta, pois, caso ela caia, você perderá todos eles. Diversificar os investimentos é sinônimo de se proteger contra as oscilações do mercado e buscar mais segurança. Você pode usar a renda variável para diversificar sua carteira.

Liquidez

Ao investir em ações, por exemplo, existe a possibilidade de vender seus papéis rapidamente e ter o dinheiro em mãos normalmente em três dias. Já os fundos podem superar esse tempo, mas, ainda assim podem oferecer boa liquidez.

Contudo, em caso de investir sua reserva de emergência, o ideal é que a renda variável não seja a sua primeira opção. Para isso, existem investimentos mais adequados em renda fixa.

Rentabilidade

A renda variável oferece um grande potencial de rendimento por não possuir taxas que limitem a rentabilidade do investimento. Apesar de possuir maiores riscos, quando comparada à renda fixa, por exemplo, as oportunidades também são bem maiores. O investidor precisa balancear os pontos e entender o que faz mais sentido de acordo com seu perfil.

Investir em renda variável abre um leque de possibilidades muito grande. Os riscos podem ser calculados e, como visto acima, existem estratégias que ajudam o investidor a potencializar seus resultados.

Ficou com alguma dúvida sobre as estratégias de renda variável? Deixe nos comentários que a gente te ajuda!

BTG Pactual Digital

O BTG Pactual Digital é uma plataforma de investimentos que tem como missão democratizar as melhores aplicações financeiras para todos os brasileiros e conta com a experiência do maior banco de investimentos da América Latina.

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.

Qual é a carteira de investimentos do Lucas Pit Money?

0
qual é a carteira de investimentos do Pit Money?

É muito comum encontrar investidores que pedem a opinião de amigos e/ou familiares para decidir onde investir o dinheiro. Saber que existe uma pessoa conhecida que investe no mesmo ativo que você traz uma segurança na hora de assistir a oscilação do seu dinheiro, certo? Hoje vamos te mostrar qual é a carteira de investimentos do Lucas Pit Money.

Se você está começando a investir, temos certeza de que você já pediu opinião para um amigo. Conhecer a carteira de investimentos de outras pessoas é um passo muito importante para descobrir o mercado financeiro.

Mas, fique atento: nada de copiar os investimentos das outras pessoas! O que funcionou para o seu amigo pode não funcionar para você e vice-versa. Analise todas as características do investimento e o mercado financeiro atual antes de realizar a sua aplicação.

Em abril, o Pit Money investiu 30% de seu patrimônio em fundos imobiliários. Como eles pagam dividendos mensais, a maior parte de sua carteira está alocada nos FIIs. Como ele investe em 5 fundos, 6% está alocada em cada um deles. Os FIIs sofreram muito com a crise, mas o cenário está melhorando e pode ser uma boa opção para você investir o seu dinheiro.

Um ponto muito importante: o Pit só toma as suas decisões de investimento quando a bolsa de valores está fechada para não ser influenciado com as oscilações do momento. Pode ser uma dica bem interessante para quem busca entrar no mundo da renda variável.

Ficou curioso para saber onde está alocado o resto do patrimônio do Pit? Então dá o PLAY no vídeo de hoje e descubra onde ele investe todo o seu dinheiro.

Curtiu o vídeo com o Pit? Não esqueça de se inscrever no canal do Yubb no YouTube e ativar as notificações para não perder as novidades.

Gostou de conhecer os investimentos do Pit Money? Comente aqui embaixo qual é a sua carteira e se é parecida com a dele 😉