Por que um fundo fecha?

Por que um fundo fecha?

Temos nos deparado, com mais frequência, com a notícia de que um fundo de investimento vai fechar para novas aplicações. Mas muitos se perguntam: o que isso, de fato, significa? Por que um fundo fecha?

Primeiro, vamos entender como funciona um fundo de investimento. É um tipo de aplicação financeira que reúne recursos de diversos investidores a fim de obter rendimentos e ganhos de capital.

Os recursos aplicados formam o patrimônio do fundo, que é dividido em cotas utilizadas para a compra de ativos financeiros, como títulos e ações, que pertencem aos investidores (chamados de cotistas) na proporção das cotas adquiridas. O responsável por todo esse processo é o gestor, que seleciona os ativos de acordo com o regulamento do fundo estabelecido na sua criação.

Em geral, quando um fundo é criado, existe a preocupação com o tamanho do patrimônio que ele pode alcançar. Isso se deve, principalmente, em função dos ativos em que está autorizado a investir e com o objetivo de manter o foco nos resultados.

A indústria de fundos de investimentos cresceu significativamente nos últimos anos, atingindo um patrimônio total superior a 4 trilhões de reais. Com a queda da taxa básica de juros e com os investidores em busca de alternativas mais rentáveis, a procura por fundos tem sido grande.

Para escolher entre tantos fundos disponíveis é muito importante ter definido:

  • Objetivos – pode ser desde a compra de um produto (um computador, por exemplo) até a preparação para a aposentadoria;
  • Perfil de investidor – Conservador, Moderado ou Arrojado. Você pode descobrir qual é o seu, respondendo um questionário de perfil.

Por que um fundo fecha?

Quando um fundo pode fechar?

Um fundo pode fechar a qualquer momento e, por incrível que pareça, pode ocorrer quando o investimento está performando muito bem.

Ele fecha para novas aplicações. Em geral, isso acontece quando atinge seu valor máximo de patrimônio. Como consequência de uma boa performance, a procura aumenta e, com isso, o valor máximo é atingido de forma mais rápida. Neste caso, fechar o fundo é um cuidado que o gestor tem para manter as estratégias traçadas e continuar entregando bons resultados aos cotistas.

A partir da data de fechamento, não é mais permitido realizar novos aportes, nem mesmo pelos que já são cotistas do fundo. Vale ressaltar que mesmo quando os fundos estão fechados para novas aplicações, os resgates não são afetados. Isso significa que os investidores podem solicitar novos resgates a qualquer momento. Além disso, o dinheiro que foi aplicado antes do fechamento do fundo continua rentabilizando normalmente, de acordo com suas estratégias.

Outro motivo que pode levar ao fechamento de um fundo se deve à reestruturação da equipe para manter a qualidade das rentabilidades. Neste caso, o gestor pode optar por fechá-lo para contratar novos profissionais e estabelecer novas estratégias, podendo voltar a abrir no futuro. Lembrando que mudanças nas regras do fundo precisam sempre passar por aprovações, inclusive dos próprios cotistas do fundo.

Por quanto tempo um fundo fica fechado?

O fechamento de um fundo pode ocorrer a qualquer momento e não há um período determinado para que ele fique fechado, podendo ser por meses ou até anos. Em alguns casos, ele pode não reabrir mais.

A reabertura ocorre, geralmente, após a reestruturação da equipe e o aumento da capacidade do patrimônio. Em outros casos, acontece devido a um período de performance negativa, quando ocorrem muitos resgates, para recompor o patrimônio.

Quer investir em um fundo que está fechado?

Não se preocupe!

Se você tentou investir em um fundo que está fechado, ainda existe a possibilidade de o mesmo reabrir. Além disso, também há diversas outras opções de fundos com estratégias muito semelhantes, que podem se tornar excelentes alternativas.

É aí que entra a Órama, uma plataforma 100% online, que oferece uma seleção de fundos para todos os perfis e objetivos. Lá, você encontra fundos de diferentes tipos e estratégias, e conta com uma equipe qualificada, que pode auxiliar na escolha do investimento ideal para você.

Eduarda Macedo

Eduarda Macedo é redatora publicitária da Órama Investimentos.

 

As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.